Translate

Pesquisar este blog

domingo, 11 de novembro de 2012

MAIS DO MESMO

Editorial: 

 

Edson Fernando

 

 

    Boa Semana a todos! Foi com imensa satisfação que se deu a finalização do texto intitulado "Sobre o que há de Valioso na Vida"  (um longo texto, dividido em quatro partes, que agora se encontrará disponibilizado, na sequência integra, na página/livro Ensaios, Relíquias e Acessórios), e agora por fim um, novo texto argumentativo dissertativo será transcrito. 

     Gostaria de dizer também que novos conteúdos constantemente estão sendo inseridos nas Páginas/Livros aqui do blog, na coluna da esquerda, no topo, e assim, não irei dizer, olha tem atualização aqui, lá, acolá, não, essa seção era mais para mostrar-lhe, leitores, como interagir com o site, agora, dou-lhes total liberdade par explorarem, navegarem pelos meus, nossos conteúdos.

    Sabem, não me canso de dizer, dia após dia esse blog dá-me mais e mais alegria e prazer, seja pelas visualizações, pelas mensagens carinhosas por email, pelo inbox do facebook, seja pelas visualizações crescentes, enfim. MUITO OBRIGADO e VAMOS QUE VAMOS.

     Por que Mais do Mesmo? Mais do Mesmo é uma coletânea da Legião Urbana e também o nome de uma canção deles, confira a canção aqui, no especial acústico MTV Legião Urbana, uma banda que me influenciou e influencia muito, recentemente conhecia a Canção do Sr. da Guerra da legião e por, doze dias, o tempo que ouvi incessantemente a canção,parecia que eu tinha 14 anos novamente. Mas para nós, aqui do blog...

    Mais do Mesmo significa a continuidade das nossas atividades on line ou seja,  posts/atualizações semanais e sempre, algum novo conteúdo nas páginas/livros. Onde, Os Conteúdos de Página, como Ensaio, Relíquias e Acessórios e Prosas matemáticas, tem suas atualizações no topo e Os Conteúdos em formatos de Livros, tem suas atualizações na base da página, embaixo.

    Assim, leia, compartilhe, mande mensagens, comente, fique a vontade, o que quero/queremos é o que continue com Mais do Mesmo, textos, pessoas e ademais...

    E também, caso queira continuar como sempre foi, o anonimato entre o leitor e o escritor que seja, como diz o jargão do futebol, "em time que está ganhando não se mexe".





     O texto que veremos hoje, é de 2002, da época em que fiz Supletivo, Atual EJA, pois eu, eu só fui concluir o ensino médio em 2002, só com 21 anos, pois é amigos...eu estudava e fiz um trabalho de História onde pegava textos da época e comentava-os ou fazia um dissertativo-argumentativo, sobre o tema.

     Assim, o texto assim fala sobre um fato ocorrido no ano supracitado, na cidade do Rio,onde os traficantes, a guerra de poder entre eles, da época, parece-me que em virtude de que um bandido foi morte, os comerciantes foram obrigados a fechar por luto, mas vamos ver o texto,

O texto foi feito baseado na leitura dessa matéria da folha de São Paulo(clique no título para ir para a página do Texto):




No Rio, medo do tráfico causa fechamento de cem lojas MARIO HUGO MONKEN
 DA SUCURSAL DO RIO

 

 boa leitura e até mais...

 

ALGUÉM DUVIDA QUE NÃO HÁ PODER PARALELO

 

    De um lado o Estado fala que não existe Estado paralelo algum, e do outro, os traficantes ordenam o fechamento de lojas, escolas... Atormentam a vida dos moradores das comunidades e espalham pânico e violência. Como isso não pode ser considerado como indício deum poder paralelo?

  O Estado não quer admitir, mas veja a situação: Vado, aquele que Belo chamava de irmão, foi morto; os amigos traficantes de Vado, em luto,ordenaram que o cotidiano das pessoas fosse alterados por essa morte  -  logo  o crime criou um poder paralelo que interfere, muda e tormenta a vida das pessoas.

    A partir da década de noventa do século XX o que se difundiu no Brasil foi o crime organizado. Ocorrido por políticas erradas de segurança pública, permitindo que o crime chegasse aonde chegou: nesse estágio, onde os bandidos mandam na vida dos cidadãos. Os bandidos sempre tiveram poder, entre eles; ou seja, os bandidos (que existem desde que a civilização se formou) sempre estiveram entre as pessoas comum e só as atormentavam quando elas eram vítimas de seus ataques, e os bandidos disputavam poder contra outras organizações ou sociedades criminosas, a briga de poder entre si. Nunca os bandidos afetaram tanto a vida das outras pessoas como hoje. O crime poluiu a sociedade, o crime infiltrou nos valores sociais, modificou-os e instituiu o poder pelo medo. Quem poderá nos tirar desse medo? Quem poderá tirar o Poder desses bandidos?

   Assim, os motivos do crime, que vão desde a origem pobre e miserável até o crime como única perspectiva de vida, são diversos e misturam-se. Superficialmente, para não estender esse comentário,podemos citar como motivos próprios do crime: o nascer do ser em ambientes tão terríveis, onde a pobreza vai enlouquecendo-os pouco a pouco, o contraste da riqueza que faz alguns se sentirem cada vez piores (poucos com tanto e milhões com nada),a estrutura atual da sociedade (onde a distribuição de renda ainda é injustíssima), a inoportunidade de melhorias na vida pelos meios justos, o crime como uma falsa esperança de melhoria financeira (o dinheiro nunca é do traficante), o dinheiro do tráfico que financia a expansão das atividades criminosas, os roubos juvenis para garantir o uso de crack, as violências de toda espécie que se concretizam por banalidades e a visão crítica de que  nada vai melhorar. E como solucionar esses problemas de causa?

    Com justiça social, oportunidades iguais (e, aqui,oportunidades iguais significa, que tanto o filho do pobre quanto o filho do rico, se não tiveram a mesma educação, quase nunca ocorre, não é?, que ao menos tenham tido a mesma possibilidade de terem a mesma educação), com incentivos fortes à Cultura  (pois só a cultura destrói o crime e os vícios) e com uma vida mais digna para quem não tem condições...nem de fazer a compra do mês.

    Sabemos que tudo isso demora, sabemos que essas medidas, decisivas e desbravadoras,poderão nos livrar das amarras criminosas. Se não fizemos isso e de modo certo, o crime continuará se proliferando.

    Não é com cadeias, nem com programas contra o uso de drogas, nem com desarmamento público, nem com exército, nem com nenhuma espécie de violência que  vamos extinguir o poder paralelo.A causa da violência, como mostrei, não é opcional, por vezes,a pessoa só tinha a violência como exemplo, isso não justifica, sabemos, mas vai piorando e muito, a situação. Não adianta tentar reprimir o crime com uma guerra de polícia contra bandido, o crime deve sim, ser combatido,mas na suas causas, no lado humano, deve ser morto sim, mas toda forma de crime e pela raiz. E isso só uma justiça de Boa vida horizontal (para todos), pode proporcionar.

    Só há um caminho: Igualdade! 

            

 

4 comentários:

  1. Olá, Edson, tudo bem?

    Seu texto ficou muito bom, falando da verdade nua e crua do que todos nós estamos vivendo e as autoridades negam espontaneamente diante dos microfones e holofotes que direcionam eles aos telespectadores, que não há falta de vontade política e, quando respondem que não precisam de intervenção federal para o reforço à polícia, no dia seguinte confessam a fraqueza através da desistência do cargo. É uma das maneiras de admitirem que o poder paralelo domina e ameaça quem for contra a lei do silêncio.

    ResponderExcluir
  2. Perfeitamente, Marcos Vinicios, você captou perfeitamente o texto.
    Um detalhe interessante, é que o texto é de 2002, tanto o meu quanto o do link,e uma leitora minha, disse-me esses dias pelo Inbox de uma rede social, que hoje a situação está um pouco melhor. Eu concordei. Como também concordo agora com o que você diz;
    O Governo está perdidinho e não sabe oque fazer. Entretanto alguns (muitos) estão tentando por panos quentes no caso do poder paralelo, dizendo que pondo presos em penitenciárias Oz made in brazil - onde até mesmo ir para uma cadeira superlotada é melhor do que uma cadeia isolatória - é a melhor solução. Já estão atribuindo a recente pausa nos ataques à intervenção do Estado, para mim, foram os criminosos que já atingiram seus objetivos.
    Houve tantas mortes por que estava baixo o estoque de armas e drogas, os criminosos precisavam atrair a atenção, fizeram esses crimes, assim ficou mais fácil transportar armas e drogas. Quantas grandes apreensões de drogas foram feitas nesse intervalo de mortes? Pois bem, é isso. A droga do ano novo e do carnaval já chegou,agora tudo pode dar uma baixada...
    É isso amigo Vinícius, enquanto isso, é exatamente igual ao que você disse, o Poder Paralelo está ai, agindo, ameaçando com tenta dizer algo e as autoridades abrirão licitações bilionárias para construir Ozes do Brasil.
    Gostei muito de seu comentário. escreva sempre. Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  3. Gostei do comentário do marcos...vc vê como em poucos dias já se tem um novo momento da noticia...de quando comentei...a esse comentário do marcos agora...quanta coisa aconteceu...como a demissão do secretário de segurança pública...e seu texto apesar de ter sido escrito em 2002...é super contemporâneo...

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.