Translate

Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

DE 2013 PARA FRENTE

Editorial

    Adentramos em 2013 tendo uma certeza n'alma, o Brasil está crescendo. Impulsionado pelos grandes eventos internacionais e por ser o país queridinho da vez, pelo Brasil não ter sentido os efeitos da crise tão profundamente, por isso e muito mais, o Brasil é muito bem visto e falado.

   Nós, sabemos que aqui nós temos  muitos e graves problemas, mas, vamos nos focar em um: nossas Matas. Nossas áreas verdes contém todas as cores: o azul dos rios, o dourado das riquezas, o amarelo dos indígenas, e muitas outras cores, as cores dos pássaros, dos minérios, das flores e a cor do ar renovado, fresco da Mata. 

    Entretanto, estamos desmatando muito, todos nós, não só os grileiros, os lobistas, os capangas, os homens em busca de fortuna, os cruéis por natureza, os pastores, a senhorinha pacata, todos estamos à colaborar com o desmatamento, quando não fazemos nada, não assinamos petições enquanto ficamos vibrados em nossos nichos cotidianos nem percebemos que uma família de uirapuru não vinga, justamente porque não há quem os proteja mas há muitos que querem destruir seus habitats.

   Em 2013, não haverá mais espaço para mentiras e hipocrisias, só existe dois tipos de atitudes: ou você está fazendo algo que irá melhorar ou planeta ou você não faz nada, é complacente com quem destrói, ou você mesmo é o destruidor. Há opções: ou vocês preferem zelar e construir, sem desmatar e aniquilar, ou vocês desmatam e matam sem dó, alias, o que tem aqui é nosso.

Só uma dica, não somos os donos do planeta, somos uma espécie e precisamos dele para a existẽncia de outras espécies e para a continuidade da nossa própria espécie. 

Destruir o planeta não é uma atitude inteligente. Visite o site do Greenpeace, Link aqui.    

 

 

 

 

MAIS CAMARADAS PARA ESSE BLOG

 

   Recentemente, eu, Edson Souza, a mente por trás de tudo que há aqui, claro, exceto os comentários e as visualizações, isso já é da vossa parte, recentemente eu criei  um perfil na rede social Facebook, com o nome, Livros do Edson, é possível acessar a página pelos widgets do lado, ou se preferir, clique aqui.   

    Já em tempo, agradeço à todos que adicionaram Livros do Edson como amigo e irei retribuir, tanto no face quanto aqui no blog, com ótimas postagens, espero que gostem, com conteúdos variados e com o melhor que conseguir fazer para vós, nossos queridos amigos leitores, muito obrigado.

    Especialmente em relação ao face, podem ficar tranquilos, e sossegadas, Livros jamais irá vasculhar suas fotos pessoais, é possível que Livros compartilhe algo seu, mas só aquelas frases, aqueles postais do face e jamais fotos de família ou outros fatos particulares de sua vida, como vocês confiarem em mim, vou retribuir sendo o mais discreto e ofuscado possível, e claro, usem o face para curtir, enviar mensagem, compartilhar, vocês sabem minha opinião " A net somos nós quem fazemos"; e de fato, penso assim, a Net somos todos nós, demos que dar o nosso melhor nela para que seja um oásis em meio a nossa vida tão agitada das ruas.    

   É um imenso prazer saber que mais e mais pessoas interessam-se por assuntos literatas, mesmo de um autor como eu, desconhecido e que não teve sua obra reconhecida, AGRADEÇO SINCERAMENTE vocês que acessam esse blog e leem meus escritos, entretanto não posso me considerar de nome, renome, eu escrevo, isso é  fato, em    135 dias desde que o blog foi pro ar, mais de 2100 pessoas viram o blog, média de 16 camaradas por dia, é um número excelente,uma vez que tenho pouca visibilidade e poucos me conhecem. Mas isso não é suficiente para considerar-me renomado, eu escrevo e é só isso, as pessoas, vocês amigos e amigas, estão vendo o blog, comentando, mas mentiria se dissesse que  isso me consagra, eu aprovo sim, a atitude de vocês, de acessarem o blog, opinarem, me adicionarem ao face, mas ainda temos muito trabalho pela frente e falta muito ainda para que o blog seja considerado um sucesso;

   Por isso, adiantando o nosso post semanal, que venham 2013, com tudo que o ano tem direito, e que façamos nosso trabalho, com a Fé no Melhor, pois só assim teremos a sociedade de queremos.

 Se você pode dar o melhor de si, por que se contentar com o comum?

    Bom ano à todos e Boa Leitura, prezados camaradas.

 


CORO_SÓ_NU



cantando em coro
porém sozinho e dissonante
alcanço o grave temido 
que vibra tudo ao meu redor
e causa abalos e tremores.

Refraniando
solidão, desânimo
que tranca-me nu 
despido de mim
num domingo infeliz
fechando janelas e portas
fechando pupilas e portões,
deitando sobre meus chacras
comprimindo-os para reter suas energias
que exalam enquanto eu desgostoso 
só queria que tudo que eu quis jamais quisesse.

Eu nunca sei
sempre equivocado
estou
morto de vontade de nada
sempre com nada
Just Only Lonely - desgostoso
Nu de Mim e de Outras
Solto nas Trevas gélidas,
deitado na relva
de padraria venenosa 
habitada por peçonhentos famintos
despido de mim e de outros,
de todos,
absorto no nada
no é-ter - nada
no éter - nunca
dependurado de cabeça para baixo
na erva daninha da morte
desfiam meu coro em linhas melimétricas
com um bisturi-espinho de solidão,
desânimo
que comem-me cru.
Vendo-me ser comido
causar salivações e atiçamento 
sem a parcela minha da graça
sirvo ao deleite alheio
e nunca sobra-me algo;
Não resta nem meu corpo Nu.





FODALISMO

Como Todos sabemos

o Universo é um Disco

e Deus é o Dj.

 

Nós somos resíduos

de um fagulho de agulha

que se desprendeu em um scratch.

 

E meu toca cd

tem a qualidade sonora

e potente

de uma Jukebox Digital!

 

Rompe-se

Rompe-se Tudo

e só sobra acetato

para fazer outras faixas.

 

COMO OS ESCRITORES SOFREM

 

    Meu amigo, por acaso gosta de uma boa leitura, aprecia uma bela escrita e se comove quando está produzindo um escrito! Então ouça o que tenho à dizer.

    Toda pessoa que gosta de escrever no Brasil, está sujeita a um sofrimento. Há outros que já nem sofrem tantas dificuldades em publicar as suas obras, seja em jornal ou até mesmo livros. Ao menos, tanto  os escritores sem voz ativa, quanto os escritores com seu espaço publicável, concordam em um ponto: não é fácil escrever no Brasil. Seja porque é escasso o público literário, seja porque os preços dos livros são pouco acessíveis ou extremamente caro para o padrão econômico brasileiro, seja porque é complicado para um jovem escritor arrumar espaço para publicar seus escritos ou seja porque no Brasil,os escritores são menosprezados, uma conclusão indiscutível é que "Escritor no Brasil, sente-se pouco incentivado". 

    E esse povo brasileiro, que tudo o que faz, faz tão bem, deveria olhar com melhores olhos para os talentos que aqui existem. Pois se é dado incentivo a um escritor com talento, e esse,por sua vez, dedicar-se, com um certo tempo nessa arte, o país pode ganhar um escritor da literatura universal. Falta olhar com bons olhos para quem escreve, pois a maioria dos escritores desconhecidos, claro, como todo brasileiro, tem talento e falta apenas que os tratemos com dignidade - por que não deixar que quem deseja produzir literatura não o faça o que quer? Na pior das hipóteses, será um fagulho, uma centelha de arte e, com sorte e empenho, pode ser, que deixando aqueles que querem escrever,livres para escreverem, acabemos ganhando um tesouro: um bom escritor.

     Um escritor no Brasil,nunca é levado à sério. Quem começa a escrever sente uma barreira que sempre lhe diz "Esse Não é o Caminho" . Quem escreve percebe que logo e dia a dia, esse caminho fica mais e mais estreito e muito complicado de seguir. E pouquíssimos são os escritores que podem se dizer realizados, no Brasil. E então,por que se escreve, já que existe um mundo todo que se impõe contra e diz que é melhor não dar atenção à arte de escrever?

    Por que quem escreve admira o que faz. Porque existe mais prazer exercitando a escrita do que se mantendo indiferente. Para quem gosta de escrever/ler, nada importa a não ser a realização do ato: nada importa senão escrever. Mesmo que pouco se faça para estimular a produção literária ou mesmo que todos ao redor do escritor os incentivem a parar de escrever, se o ser tiver força de vontade de continuar a escrever, ele escreverá. Não importa se o mundo todo vai contra o todo vai contra o escritor, se ele se desgasta, em pleno deleite pelo escrever. Nem que a comida lhe falte, a letra será o arroz dele - a letra, é a vida intelectual do escritor, e parar de escrever significaria o mesmo que "morrer" intelectualmente. Quem gosta de escrever, sempre escreverá, até que o prazer pelo escrever cesse ou até que a vida do escritor termine. Escrever é para quem gosta de faze-lo, uma outra vida dentro da própria vida. Assim, muitos se fascinam pelo mundo paralelo que é possível encontrar na literatura; alguns fazem desse mundo literata, algo tão intenso que os contemplam chorando, outros encontram-no raciocínio, outros nas ideias arquitetadas das escritas e outros, ainda, encontram-na (a graça) em formas de linhas e letras. Tudo isso é uma outra realidade, a realidade das abstrações. 

    Escrever é a música silenciosa, é a construção das danças das palavras, é ouvir sinos enquanto se produz. E não, isso não é uma desalocação da realidade dos outros, é apenas embalsado por letras e elegâncias transfiguradas por palavras. Pois quando se escreve o mundo é outro, é outra a visão, outra forma de pensar e sentir. Todos deveríamos escrever, mas como isso não é possível,  pois a própria natureza decide qual talento dará à cada um, cabe a nós ajudarmos quem deseja escrever, a fazê-lo. Pois, geralmente, quem gosta de escrever, não apenas, gosta por acaso; geralmente, quem gosta de escrever, gosta disto fazer porque é bom ler depois de feito - ou seja, quem gosta de escrever gosta disso porque depois de terminado a obra, ainda existe ali a beleza conservada.

   Toda produção literária causa prazer quando está sendo escrita, porém só as melhores obras conservam-se frescas e com o brilho próprio depois de concluídas. Isso é escrever bem: é ter uma obra que independentemente de de quando for lida, trará ainda uma centelha do aroma novalício, que se exala enquanto os escritores escrevem: escrever bem é escrever algo que depois de terminado se conservará em forma e em bom estado de leitura para um longo sempre. Uma boa obra, a partir do momento em que foi escrita, não se perde mais, e será para todo o sempre, uma boa obra....já uma produção não tão bem sucedida, dará gosto para quem a escreve, porém, depois de terminada e lida, perderá sua graça e o verdadeiro valor da obra fora apenas o de dar gosto ao autor.

   Mas, independente, de se produzir boas ou más obras, deve-se escrever. Pois mesmo que não se produza  algo sublime e encantador, no mínimo, o ato de escrever trará alegria a quem o pratica e isso não incomoda ninguém. Já no caso de quem escreve e acaba produzindo obras que trazem fascínio quando lidas, deve-se incentivar esse escritor,pois obras melhores ainda virão, certamente.

    Parece um sonho, acreditar que o povo ganhe gosto por leitura ou literatura? Que absurdo, não devria assim parecer.

    Nas ruas, as pessoas andam com pressa e atrasadas, andam atarefadas com seus negócios, como esperar atenção das pessoas á literatura?  Literatura exige tempo. E como desejar esse tempo se toda a atenção das pessoas já está voltada para as rotinas do dia a dia?

    A leitura não pertence a esse país, será que um dia pertencerá? Não somos um povo que olha com bons olhos para livros. Nossa rotina, faz, de tempos em tempos, que a literatura fique menos importante, mas não deveria ser assim. Outros hábitos como ver tevê, por exemplo, retiram preciosos minutos da nossa atividade de leitura.

   Essa nossa cultura, pouco valoriza, não só o livro, mas também, pouco valoriza os escritores, em geral. E desculpem-nos a audácia: Um cantor ou cantora de Axé é incontavelmente, mas muito, muito mais, valorizado que um escritor. Não se valorizam os escritores e os bons escritores fugiram para as Sombras,nunca à aparecer nos palcos, para darem o ar de suas graças.Ocorre que com a mídia tão pouco voltada aos bons escritores, a mídia apenas interessada a mostrar os livros que lhes convém, de suas editoras ou e seus catálogos e os jovens escritores, não lhes resta espaço, bem, talvez na internet. Pois como esperar que novos escritores surjam, se até mesmo já os bons e consagrados escritores estão escondidos? 

   Esse país desaprendeu como tratar literatura. parece que mudanças virão, agora mais ainda com a cesta cultural, pena que só pra quem trabalha em com carteira assinada, mas já é um começo. Tomara que tudo mude mesmo, pois um povo apreciador de literatura é um povo mais esclarecido e bem observador. Uma nação com capacidade de boa observação, sabe exatamente onde está e para onde vai, pois olha ao seu redor para concluir suas reflexões e mais do que isso, não é feita de boba.

    Valorizemos os escritores pelos motivos acima citados.E para provar a importância de ler/escrever, fiquemos com essa interrogação: O que um país ganha não valorizando livros e valorizando os meios televisivos?

    Quem unicamente se entreter assistindo televisão ganha sua própria renuncia ao universo que existe no saber.

    Assim,talvez, com pequenas mudanças nos hábitos. O futuro não será como o presente e haverá, finalmente, de chegarem os novos dias.   








Atualizações


    Em Atualizações dizemos o que está acontecendo aqui no blog. Pois nosso blog, alem dessas postagens já conhecida da maioria dos leitores de blog (essas novas postagens, este conteúdo na página principal), temos também as páginas/ livros, que nada mais são que conteúdos  separados por uma determinada temática, vamos a eles:  


    Temos a página/livro O conto do Noctâmbulo. Que o nome já diz quase tudo, são contos, são histórias sobre aqueles que andam, que vagam pela noite. Trata-se de textos marginais, mas não apológicos, muito pelo contrário, um narrador vai contando a história e mostrando como o caminho do crime e do marginalismo não dá fruto algum.  Agora estamos na Parte II do livro. Interessou-se, veja no link o conteúdo. LINK AQUI.


    Temos também, nossa Seção de Poemas, que intitula-se Prosas, e Poesias, todavia, essa semana, tivemos problema no livro pagina (mas já estamos resolvendo isso para publicarmos normalmente poemas no link correto)  e transcrevemos o poema Banco24hrs no link, postagem Hi Tech Teco,  uma vez que o poema faz parte do projeto. LINK AQUI.


    Escrevemos também novos textos em Os Excluídos Renegados, que mostra a história de Stephano e sua expulsão do Paraíso, nós vimos que Stephano achou uma sociedade dentro da sociedade, chamada os Desprezadores de Corpos. Leia o texto, LINK AQUI


     Temos ainda RPG, um jogo de interpretação num sistema de regas, baseado no cenário de MAGO: A ASCENSÃO, A Urna Cúbica de Platina é uma gigantesca crônica de Mago e estamos transcrevendo-a aos poucos, é muito material mesmo e ela será posta na integra, mas por enquanto estamos ainda na Cena I do Capítulo III, bem no comecinho mesmo.  Pusemos uns scans , são testes mas vamos deixa-los na livro/página. Gosta de RPG, quer dar uma olhada? Veja no link. LINK AQUI.


    Caso queira ir direto para um conteúdo, em todas as tela do blog, no canto superior esquerdo tem um menu "PÁGINA/LIVROS, e estará lá nos nomes os listados, basta clicar e ir. Repare que no menu citado temos ainda Teatro; Ensaios, Relíquias e Acessórios; Páginas para vocês, amigos leitores mandarem seus textos e também o link das nossas atualizações. E Claro, sempre vc pode comentar, curtir, postar, compartilhar, enviar email, participar pelo inbox, vocẽ é quem sabe, de um jeito ou de outro, sua mensagem eu receberei. E agradeço muito por isso, por ser o nosso feedback, nossa resposta perante à tudo o que postamos no blog. Sua opinião para nós é realmente muito importante. Fale conosco.

    Como puderam perceber, na edição de hoje, da primeira quinzena  de Janeiro, optamos por  usar editorial para falar da mata e por poesia.  Depois Um texto sobre como os escritores sofrem. Tivemos essa seção e agora vocês ficarão com mais uma poesia e um set, agradeço, agradecemos imensamente ao interesse de vocês pela minha poesia e minhas mixagens.

  Ao Lado, poemas meu " A Prosa Real" e "Restou-lhes"; e  gosto sempre de convida-los à Participem do site, deem suas opiniões e jamais se ofendam com as ideias aqui do blog,  trata-se apenas de ideologias e não de opiniões pessoais. E Mais uma vez, você também pode adicionar a gente no face; boa leitura!!!!

   Assim, oque queremos é que fiquem bem e á vontade, aqui só debatemos as ideias, JAMAIS temos o intuito de ofender ou menosprezar, igualmente, valorizamos todas as pessoas. 

PROSA_REAL

Quando se vive em Matão
e é-se diretor social(cultural)
não se deve oferecer oficinas e conferências,
isso, gratuito, deve-se fazer só em sp 
porque na capital tem teatro de rua,
show na faixa, performance da galera
e concertos em parques...

Em Matão,
deve-se oferecer espetáculos
e não tabernáculos
porque na prática
vem a iniciação pela observação.

Contratem, Secretárias Municipais do vale Saudoso,
fechem com grupos de atores,
com grupos de cantores,
chamem os artistas da língua e do corpo

aí, sim, esperem cobranças
e participações em worshops
Porque depois de aprender,
nós queremos é fazer.





RESTOU-LHES

O passo espantoso, 
a falta de dvds
pois sua grana foi queimada
sobre cinzas e tragadas

Sobrou-lhe a escuridão do estradão
a vigília que te denuncia louco,
se'u não apronto na rua
vai em casa mesmo

E de toda a forma
vou aniquilando minha vida.



set Goal Goa


RESTOU-LHE

 

O corte duplo da faca amola meu dedo

contanto que meu sangue não toque 

a Mercedes Benz

do esmerilhador das grades florestais,

o vermelho impregna o Cascão

pueril do auto importado 

comprado a custa da escravidão

de mão de obra unissex

 

Fique com teu sono quebrado

sua adaga fudida

garanta teu ponto de hoje,

a noite é de caça

aos patos bem selvagens, gatinhas castas

e cobras corais, por sorte, falsas;

adoce a boca amarga da sede,

da sede por companhia e atenção

da sede por amar.

Pois mesmo quem odeia necessita de amor;

mesmo quem mata, faz filhos

e quem desdenha quer comprar.


Restou-lhe nada,

ao menos a lembrança

do que tinha e já não tem?

_ Nada!


Restaram-lhe quantas pedras na mão?

Quanta mágoa corrói o seu coração?

Restou-lhe,por acaso, aí dentro, algum perdão?

E quanto ainda tem pela frente de chão?


Restou-lhe, daqueles dias,

a tristeza da solidão

o desprezo pelo ódio

e a paixão pela liberdade


Hoje, resta-lhe

o claro dia

ao som de This is Mortal Coil

e 4 Bhramas e 1 catuabeira 

que lhe faz sombras e dá-lhe frutos.


Floresce o colchão d'água

da abundância

Consertam-se as curvas

da ignorância

doa-se tudo,para que assim,

quando viesse a sobrar,

não sobra-se nada;

pois é melhor não restar

do que quando fartar 

só ter nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.