Translate

Pesquisar este blog

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Nós amamos o Carnaval



O Aval da Carne

 

Isso é o que pensamos do carnaval. Onde a carne tem vez, não é por nada que simbolicamente o carnaval antecede a quaresma, que muitos creem uma época de penitências... As penitências, se bem empenhadas nos evoluem, se mal empenhadas nos torna quase piores do que somos, mas de fato, é impossível ser pior do que o habitual. O carnaval vem antes da quaresma porque antes de haver a purificação espiritual, o corpo deve expor-se, depurar-se, acabada a ilusão, o ser está pronto para a sua busca íntima.

Mas é carnaval, não vamos falar de coisas complexas, vamos? Ah sim, vamos. Nessa edição de livros de Edson temos de pouco um tudo, ou melhor, já demos a chave da cidade para o rei Momo, não há mais voltas, as festas devem começar imediatamente, para quem é de festas, pois respeitamos o direito de todos.

Se não quer pular o carnaval na folia, pule-o de outros modos, lendo esse blog, como está a fazer agora, rompendo as ilusões, ouvindo uns sons, conhecendo uma coisa nova, nem tão nova assim, e vendo que de todo modo é uma época especial, e deveríamos vive-la com naturalidade, como tudo aquilo que mais gostamos e somos.  



Aqui, uma canção que gostamos muito, versão de Zé Ramalho para Like a Rolling Stone, de Bob Dylan, Zé Ramalho fez todo um album só com tributos e versões ao som maravilhoso Bob Dylan, essa canção em especial tem uma linda mensagem de que no fundo, "as moedinhas que se joga ao outro, são as mesmas que você vai pegar depois, se não se libertar delas"


   LIVROS DO EDSON DE CARNAVAL e SARAU

 

Nessa edição especial de carnaval 2013, forneceremos a seguir uma lista de links para baixar livros, se tudo estiver ok, com esse feriado todo, é só clicar no link e esperar o livro descarregar, Boa leitura, amigos foliões... Esperamos que apreciem:

 

Começamos com Os Irmãos Karamazov, de Dostievsky, um dos maiores clássicos de um gênio da literatura Russa, disponível no idioma Português do Brasil, como os demais livros que serão apresentados nessa seção. Baixe o Livro, Clicando Aqui

 

Seguimos com a indicação de Fausto de Goethe, o livro maior de um dos maiores autores alemão de todos os tempos, dizem que a primeira parte e o começo da segunda, foi escrita pelo jovem Goethe, e o final de Fausto, só foi escrito por Goethe mais de meio século depois. Veja aqui o Livro Completo. Link AQUI.  

 

Agora, essa leitura, é fundamental, um teatro, o Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, e realmente, uma literatura popular, de fácil acesso e que diz muito, afinal quem disse que carnaval não é época de teatro. Veja o Livro/Peça AqUI.

 

Ainda em teatro, Moliere, um grande teatrólogo francês que morreu em Cena, fazendo outra peça dele, O Doente Imaginário, mas aqui, será apresentado o Livro dele, O Avarento, baixe o Livro, nesse LINK AQUI.  


Vamos seguir Nossa leitura com Vitor Hugo, Que tal? Os miseráveis, dizem que Vitor Hugo só escrevia na pobreza, de todo modo, é um grande escritor, aqui o link do livro.


Agora, nosso link será de Nietzsche com Assim Falava zaratustra, baixe o Livro, aqui.

 

Aproveitamos a ocasião, para fornecer o link de um download que pode favorecer e muito os leitores desse blog, a 2º edição de Mago a ascensão, LINK AQUI.


Só pedimos a gentileza de usar os links aqui única e exclusivamente para fins pessoais, no mais, é uma boa e excelente leitura de carnaval e sempre, vamos levar a leitura pela quaresma, já que falamos disso, por que não?

(PS: os conceitos religiosos aqui apresentados são apenas simbolismo e formas de nos comunicamos, nós respeitamos a tudo e a todos, entendendo que todos estão em um mesma Unidade.

 






 
Quanto Vale a Sua Existência



Muito, mas muito mesmo, e não é de hoje, fala-se de fim de mundo, que pode ser a qualquer hora, etc... todavia, para muitos,o mundo já acabou, e só quem perdeu o seu mundo é que percebe, os outros, ora, os outros estão ocupados demais enquanto ouvem seus “hinos evangélicos” em seus trios elétricos que vieram junto com o carro 4x4, aliás, como liga isso mesmo? isso porque é só um botão, estão ocupados por demais com o erguer, ao máximo, o volume do som da pick up automotiva (aliás, como liga isso mesmo? , em seus carros de liga alemã) , estão cansados de tanto repetir as velhas ladainhas de épocas em que não cortavam o cabelo ou não aceitavam o casamento gay, hoje tudo isso nos parece demasiado ridículo e vulgar, mas durante muito tempo, os torpes dominavam o mundo enquanto, nós, os valiosos ficávamos de fora da sociedade, vendo os insanos aniquilarem o mundo à fora com suas visões distorcidas de verdade e dignidade. Por muito tempo, os sábios sofreram perseguições por causa de seus dons de verdade, por muito tempo, os algozes desfilavam em palácios da alvorada, e tomavam posse depois de comprovadas suas mesquinharias e olhem só, agradavam-se enquanto aguardavam o trânsito do julgado. Agora tudo isso já acabou e vocês não precisam sofrer como seus antecessores sofreram, todavia é bom que saibam, que essa Terra de Reparações nem sempre foi assim,e que longos séculos se passaram até que nossa verdade começasse a ser aceita.

Nós víamos parte dos objetivos - não os todo mas partes - , claro, vez ou outra nos deixávamos levar por interpretações que nos diziam da Verdade, por impressões apagadas de uma existia uma realidade recriada pela bancada dos deputados, pelo coristas da Igreja, vivíamos um eterno aceitar, onde nós diziam, isso é, isso não é, tal fato é irrefutável, tal pesquisa é a certa, entretanto, tudo isso só nos enganava e nos apontava para o abismo infernal. E não, meu filósofo júnior, não adiantava você alegar que fora ludibriado por ancianos que lhe diziam que aquilo era o certo, só para lhe induzir ao erro, como no exemplo citado do carro de som que bravejava blasfemando ditos sons de “Deus”, não há o que alegar, pois Jesus já dissera há mais de 2000 anos, “aos ouvidos do Pai, vale muito mais as orações que são feitas no silêncio de teu quarto, do que, aquelas que são proferidas pelos ditos homens da Fé, na praça pública”, se era assim há já 2000 anos atrás, porque cremos que hoje temos a necessidade de mega shows evangélicos, senão para fomentar mídias e vendas? E mais, Ele dizia: Não se pode servir a dois senhores, ou se serve Deus ou Manom (antiga divindade que representava o dinheiro, os bens particulares, avareza, colecionador de moedas valiosas...), tínhamos ainda que aprender que ter e ser são medidas que nem sempre se condizem, onde milionários do bem estar e da sabedoria podem se ocultar em peles de indigentes, ou estar em um corpo muito frágil, que lhes confere um ar de melancolia, fraquezas e pobreza, mas, de fato, não era assim mesmo.

Tudo isso nos era mercado e esse mercado torpe seria relevado, tal como seria comprovado que a tecnocracia, em qualquer teor deve ser evitada ao extremo ou constantemente renovada; e que quando dizemos “Bendita seja a Nação cujo Deus é o Senhor”, devemos trazer essas palavras mais ao lado de dentro do peito do que exibi-las como se fossem amuletos capitalistas que adquiríamos, enquanto tudo se tornava mercado(s); ao falar muito de Deus, corremos o risco de Expô-lo em uma vitrine que nem sequer fora limpa, antes de pretensiosamente vender Deus, como se Ele fosse um produto que pudesse ser comprado com 10, 20, 30 ou qualquer outra porcentagem que seja, das nossas rendas; naquela época de equívocos, os crentes criam que quem tinha Deus, tinha Dinheiro; sabemos que já há grandes e intransponíveis diferenças entre Deus e Manom, onde o próprio mestre Jesus, disse por muitas vezes, que ele havia sofrido, logo seus discípulos deveriam sofrer também, quem acha que isso só se aplicava exclusivamente aos discípulos direto e escolhidos pelo Mestre & Deus se engana, e feio... Disse Ele “ Quem aceita a mim, aceita a quem me enviou, de tal forma que quem aceita quem eu envio, aceita a mim também”, querem algo mais claro do que isso, sempre foi assim, nas epístolas sacras, os próprios discípulos avisam “Nosso mestre Sofreu, nós também temos que sofrer”, não é exatamente assim, mas o significado é exatamente esse, não é o Mestre maior do que o discípulo ou seguidor? Pois bem,o que o Mestre passou, quem o seguir também deverá passar, senão pelo mesmo caminho, por caminhos semelhantes. Só que há quem ache que as Igrejas existem para fazer fieis enriqueçam, comprem carro, usem termo e perfumes caros em seus cultos; não sabemos como conseguem acreditar nisso, Jesus jamais disse ou usou essas coisas, pelo contrário, essa postura ia diametralmente contra os desígnios do Mestre e de Deus; pois tais atos cultivam a inveja, ou antes a segregação religiosa, onde muitos erroneamente acham que quem tem dinheiro é mais querido por Deus do que quem não tem, não é assim mesmo. Isso só dissimula os verdadeiros valores de Cristo e só prega a total e plena ignorância dos reais valores da Fé, mas não estamos aqui para falar do povo do passado, daqueles que andam em bandos, porém quando é para orientarem um filho que não use moto para empinar, ou que não dirija enquanto não tem tem carta, que nada, orientar: há o que nisso? Que valores vai ter uma família que o patriarca só pensa em reformar casa, comprar terno, perfume, carro, moto e lancha, tudo em nome de Deus, uma escalada social religiosa absurda que fere até mesmo os olhos mais calejados com a ostentação vagabunda que infelizmente a muitos ilude e os faz creem que essa é a medida, que isso é sucesso, que isso é alegria e que só isso é vencer na vida. Tais pessoas não receberam de Deus o dom supremo de, de fato, verem ou contemplarem à realidade. Você tem todos os ouros que reluzem aqui e no além, dois tipos, o ouro da vida e as vaidades humanas, ao seu lado sempre, Deus o pôs aí para que você conseguisse acessa-los e tivesse que se destinar a um mais do que a outro, Ele também nos avisou: uma vida eterna depois que parti dessa Terra, mas muitos; deixam-se levar pelo brilho e febre de coisas efêmeras, que terminam (aqui e lá) e nunca se completam (como a tecnologia, sempre a recriar-se, numa sede que nunca se sacia), que só causam mais vontades inextinguíveis e angustiantes, mas isso, já não importa, porque de fato, esse homem baixo e desengonçado já não esta mais a nascer e daqui para frente, não haverá mais sofredores, se um ou outro resistirem, é porque nem todos estão já na vanguarda e muitos insistem em aceitar a verdade que um novo sol , maior e mais forte, brilha a cada dia, princialmente depois das estações chuvosas. E assim terminamos a Época de equívocos e começamos a reparar as coisas que estavam erradas e fora de seus devidos lugares, na ordem cósmica de Tudo.

Para alguns, as ideias aqui defendidas podem ser contra a palavra de Deus, contra a Bíblia, que esta encerrada em si mesmo e nunca muda ou erra; reservada as devidas proporções, Jesus é muito maior que nós, cremos, mas o próprio Mestre, em sua época sofreu fortes represálias que chegaram ao cúmulo de crucifica-lo e quando, O interpelavam sobre o que Ele dizia, ele simplesmente afirmava: Eu não vim revogar a Lei mas sim cumpri-la e mais, dizia, Não há nada que não esteja oculto que não venha a ser desvelado. Para muitos, o mundo é um eterno repetir dos velhos e obsoletos atos do passado, que apenas trouxeram o mundo ao seu status quo(quebrado) que encontra-se, onde há a  desigualdade imperando e sempre estamos a desconfiar dos bens intencionados, pois pensam, como alguém pode fazer tal coisa sem visar o lucro? Desconfiamos, apontamos o dedo e dizemos não para, o que muitas vezes, é-nos o melhor que o Cosmos tem a nos oferecer. Isso vale para todos, quantas vezes fomos orgulhosos e não aceitamos e bom grado o teste criterioso que se abria ao nosso empenho,e ao invés de mostrarmos o melhor e sermos aprovados no teste, pois Deus não nos dá uma prova que sejamos incapaz de realiza-la, jamais, se ao contrário de reclamarmos e dizermos “Oh,não posso, que dureza, que complicado, que...”, se ao invés disso vivêssemos a prova, certamente a passaríamos com nota muito alta e teríamos cumprido com nossas obrigações.

Mas nos fechamos em egoísmo, desconfiando de tudo e todos, pois quem confia em si e nos outros, boa gente não é... Pregamos a congregação isolada, entre os nossos, onde não se entende com o “rival”, mas mesmo assim, sobem ao altar, enquanto gritam e bravejam, mostrando a todos que tem e dão aos seus, onde o mérito se perde, pois a maior prova, a do coração, no sentimento sincero com seus irmãos mais afastados, diga rebelde e infame se quiser, onde com esses, nada se entende e só cresce a intolerância, as fraquezas da alma, a ganância de ter para provar & dizer:

Eu venci, eu criei minha fortaleza de ouro, minhas carruagens estão à minha disposição, na chuva ou no sol, à madrugada ou com o sol a pino, segundo a minha vontade; enquanto tu andas à pé, molhaste todo a tu ou o sol que fizeste-te, teres, as roupas suadas que aderem facilmente à poeira do ar, do ar queimado de cana, do ar carregado de areia dos caminhões, do ar de pouco e muito que te viera à face enquanto caminhavas, eu, por minha parte, tenho de tudo, que pode-se ter aqui e faço questão que saiba, para que não tomes a tua parte; e o ar,já não me importa, pois eu tenho as minhas próprias carruagens e castelos, e neles, tenho meus próprios foles.”

Provar... Nem para si, e para que provar aos outros? Nada disso nos importa. Não queremos ter nosso próprio ar condicionado (fole), queremos sim uma sociedade boa para todas, com bons serviços públicos, boa vontade, irmandade de sentimentos pluri-verdadeiros, cheios de graça e honra, para todos nós. Onde não conseguimos estar bem se sabemos que um amigo não está bem. Acreditando em Deus, na comunhão com o Divino pelo meio social, sim claro, mas acima disso, o encontro com o Céu Íntimo, nossas reformas pessoais, o podar das arestas. O bem maior.









Livros do Edson deseja a todo e todas as amigas e amigos desse blog, um carnaval inesquecível, com muita folia, amor e diversão. E, para quem gosta de Trance Music, de música eletrônica, aqui o novo set de dj Edsonnando, set ainda que precisa de uns ajustes, mas já é possível dançar no carnaval, e sempre; Fiquem em paz amigos e voltem sempre. Até mais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.