Translate

Pesquisar este blog

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Eu Apenas Quero Que Vocês Chorem Com Essas Palavras


Get Me Away From Here I'm Dying



Ooh! Get me away from here I'm dying
Play me a song to set me free
Nobody writes them like they used to
So it may as well be me
Here on my own now after hours
Here on my own now on a bus
Think of it this way
You could either be successful or be us
With our winning smiles, and us
With our catchy tunes, and us
Now we're photogenic
You know, we don't stand a chance




Oh, I'll settle down with some old story
About a boy who's just like me
Thought there was love
in everything and everyone
You're so naive!
They always reach a sorry ending
They always get it in the end.
Still it was worth it as I turned
 the pages solemnly, and then
With a winning smile, the boy
With naivety succeeds
At the final moment, I cried
I always cry at endings


Oh, that wasn't what I meant to say at all
From where I'm sitting, rain
Washing against the lonely tenement
Has set my mind to wander
Into the windows of my lovers
They never know unless I write
"This is no declaration, I just thought
 I'd let you knowgoodbye"
Said the hero in the story
"It is mightier than swords
I could kill you sure
But I could only make you cry
with these words

Me Tire Daqui, Estou Morrendo



Me tire daqui, estou morrendo
Toque uma canção e me faça livre
Ninguém mais as escreve como elas deviam ser
Então talvez eu devesse fazê-lo
Aqui sozinho agora depois de horas
Aqui sozinho agora em um ônibus
Pense deste jeito
Você pode ser bem sucedido ou ser como nós
Com nossos sorrisos vencedores, e nós
Com nossas melodias cativantes, e nós
Agora nós somos fotogênicos
Você sabe, nós não temos chance




Oh, eu me sentarei aqui com alguma velha história
Sobre um cara como eu
Pensando que havia amor em tudo e em todos
Você é tão ingênuo
Eles sempre alcançam um perdão no final
Eles sempre tem isso no fim
Ainda assim valeu a pena como eu
virei as páginas solenemente, e então
Com um sorriso vencedor, o menino
Com ingenuidade tem sucesso
No momento final, eu chorei
Eu sempre choro nos finais



Oh, isso não era o que eu pretendia dizer
Aqui onde eu estou sentando, chove
Lavando contra a solitária moradia
Deixando minha mente vagar
Nas janelas de meus amores
Eles nunca sabem a menos que eu escreva
"Esta não é nenhuma declaração,
eu só pensei que você gostaria de saber...adeus"
O herói disse na história
"É mais poderoso que espadas"
Eu poderia matá-lo, com certeza
Mas eu posso só fazer você chorar
com estas palavras




Como vão amigos e amigas de blog? Por aqui continuamos nossas reflexões, nossos textos, nossas opiniões. E temos mais essa postagem que diz sobre o momento em que o Brasil vive, que, não se iludam, não é de hoje que o Brasil está assim - o Brasil sempre ensaia uma mudança, parecia que ela tinha vindo com as Diretas Já, ou melhor, antes, com o Fim do Coronelismo, ou melhor ainda, parecia que veio com o grito da Independência, mas sempre somos surpreendidos, com Impeachment, referendo, consultas públicas e mais recentemente ainda, com a Manifestação da Insatisfação. Enquanto isso....

Continuamos a descobrir a internet, o poder que ela tem, continuamos a descobrir o Twitter, aprendemos os significados da hashtag e do arroba, enfim, aprendemos como criar um evento e chamar todos os nossos Amigos de Facebook para participarem;  o que cremos, e que deva ser o mais importante talvez, nem seja a aderência ao movimento da Insatisfação, talvez, o mais fundamental seja justamente essas reflexões, esses pensamentos todos, esse sentimento, aliás, queremos que vocês chorem com essas palavras (vide letra de Belle and Sebastian, Get Me Away From Here, I'm Dying).  Afinal, como bem se separa, essa postagem diz também de mensagens, e o que nela está dito e mais ainda, essa postagens fala com ela mesma, assim, se quiserem dizer o que ela confessou-lhe, sinta-se a vontade, digamos que nessa postagem o conjunto é apenas uma obra singular onde todas compactuam de apenas Uma.

E Com vocês, mais uma postagem. Boa Leitura e Boa audição, boa reflexão e para quem #foiprarua, desejamos que seus pedidos sejam atendidos, desde que vocês não se esqueçam, continuamos a viver no Brasil, o país é o mesmo, as pessoas são as mesmas, as ruas, tudo igual, exceto a violência da polícia, principalmente a militar que até um braço (departamento) da ONU, já sinalizou que seria bom que o Brasil extinguisse a polícia militar (claro, os nossos políticos serão contra isso, não criaram até a polícia pacificadora para "estar mais presentes" na comunidade?)..., mas, agora, ao menos, o mundo sabe que estamos descontentes e que aquilo que todos desejam, como copas e olimpíadas para trazerem turismo, negócios e visibilidade, para nós aqui do Brasil parece que nada disso importa, pois usamos  essas coisas, esses acontecimentos esportivos mundiais, como intensificador de protesto, afinal, alguns creram que esse era o momento de protestar e muitos foram com essas ideias, e fizeram o que todos sabemos. Se por um lado, cremos que isso contribui para a democracia, por outro lado isso também é muito prejudicial, não só pelo barraco na festa, dizem que toda festa boa deve ter um..., mas acima de tudo por uma falta de liderança, por fata de orientação, por falta de engajamento legislativo suficiente para saber que a firula, não é meio de mudança, e se ela diz que algo está ruim, mas então ok, a quem  mesmo que ela diz  isso? E como? Quantos tentam melhorar as coisas e são ou foram mortos? Gente bem intencionada, como a missionária norte americana que só queria paz no campo e fim ao mercado dos grileiros, ou ainda inocentes que foram as passeatas "pacíficas" e acabaram mal ou piores ainda, não mais entre nós? Por quê?  Quantos falam e não são ouvidos? Mas dizem que a união faz a força, todavia, se houvesse uma união, não haveria tanta dissonância de manifestações. E de verdade lhes digo, no momento em que víamos a multidão caminhando pela rua (Alguém aqui já ouviu Roberto Carlos, Jesus Cristo?), claramente à minha mente veio a imagem, de um anjo no céu, o próprio Filho do Homem (Messias) e de fato, penso que mais que as reivindicações da terra, o que aquelas pessoas queriam de fato, era um mentor espiritual, um guia, um mestre que lhes dissesse o que e como fazer. O que está faltando é um grande líder, e como nossos problemas são tantos e cada vez maiores, precisamos dO Líder, do maior de todos, daquele que dizia, "os últimos serão os primeiros".  E é exatamente isso que de vamos falar, vamos prosseguir?



Somente Duas do Roberto

 

 



Somos Daqui. Essa é nossa nação verde e amarelo. Se o patriotismo político não nos toca a alma, a Seleção Canarinho, certamente sempre o fez. Onde vamos, sempre vemos os garotos, ainda que com mais pano do que corpo, esforçando-se, deixando de repetir a refeição da escola só para terem mais tempo de bater bola. E eles mantem a esperança de que algum clube os veja e os chame para jogar no profissional. Ou mesmo o avô que incentiva os netos a jogarem, levando os meninos ao campinho, ao projeto esportivo, para além de ver a alegria estampada no inocente rosto da tenra idade deles, ao passo que as feições já demonstram a garra, o amor à camisa, a dedicação pelo time e o empenho na vitória, para além de tudo isso, como se já não bastasse, ainda terem Fé, acreditarem que com suas dedicações, suas corridas, esse incentivo todo e esses treinos, algum dia a vida melhore e literalmente a bola vá pra frente.

Tudo bom, tudo belo, tudo azul e branco e verde-amarelo. E nós vamos levando no peito, como diz muito bem a Música do Roberto Carlos, Verde Amarelo. Nós vamos mantendo a Fé, afinal não nos iludimos, levando um sorriso no rosto, simpatia nossa, maestria de gari que mesmo em trabalho, ao limpar o sambódromo, todo feliz da vida por ter conseguido um trabalho, dança em plena Marquês de Sapucaí, e virá simbolo nosso no exterior - esse somos nós, sorrindo, radiante, a vida das cores, o equilíbrio dos tons, a garra, a força, o gigantismo, o samba, a bola, as mulheres, a  natureza, as riquezas naturais. É Brasil, É Brazuca, um cara bom de papo e de cuca, tiro o meu chapéu, peço bis, pro meu país. É a camisa que vestimos. Esse é o nosso país, não somos de agora. Somos de muito tempo atrás, antes mesmo de 1985, somos do sonho de uma nação, natural, rica e sem pecado, afinal, não existe pecado do lado de baixo do equador. E nós, que desde muito tempo, não vemos dar nosso salário para as primeiras duas semanas do mês, nós que vivemos de renda da previdência social, vendo ano a ano, o valor do benefício diminuir-se e ter "aumento" menor do que a inflação real do período, nós já estávamos acostumados com a crise mesmo, em ter um dia e não ter seis, nós nem nos rebelamos tanto quando a arrecadação tributária bateu mais uma vez, pela enésima vez consecutiva, recorde de somatória, nós nem nos rebelamos quando o valor da passagem de ônibus subiu, pois a muito abandonamos os transportes, públicos ou não, e fazemos uso de nossas pernas, pois os horários e os itinerários dos ônibus não condizem com a real necessidade nossa. Mas para alguns, há um susto que tomaram, podem ter sido os juros do limite que acabaram com o orçamento do mês, pode ser ainda a necessidade incontrolável de fazer uma manifestação nas ruas para postar no facebook e ganhar muitas curtidas, pode ter sido o grito entalado na garganta dos condôminos, que não podem gritar de madrugada, enquanto ao lado, a alguns quilômetros, os funkeiros do baile, gritam em algazarra. E assim se faz uma revolução virtual que a todo custo queriam tornar real, talvez mais bombas, mais repressão, mais impressa, talvez tomar uma sede administrativa pública - a revolução aqui se fará na mente, se fará quando nós pararmos de quer ser melhor ou ter mais que o outro, vai parar toda a roubalheira quando a filosofia for aceita entre nós, pois se os jovens de hoje dizem para ti cuidar de tua vida e não da vida dele, não pense que isso acontece porque ele não quer te julgar, ele diz isso para afirmar "Os erros que fizer são meu, tal como eu não reparo os teus", é antes uma aceitação do fracasso, da perda, de lidar com o imperfeito, mas os altruístas ainda existem, e são os primeiros que  os outros (eles) querem embrulhar com as cartolinas dos protestos, em frente a velhos palácios da época da República Velha. E o por que das músicas?

O som do Belle & Sebastian, é aquele som que nos toca profundamente a alma, e o que se canta na música Get Me Away From Here, I'm Dying é de onde tiramos o título dessa postagem. Onde em determinado momneto da canção, se ouve "Eu apenas quero que vocês chorem com essas histórias". Pois a verdade é essa, as outras pessoas não pensam como nós, se nós gostamos de boas Histórias, de uma excelente sintonia, há muitos interessa a baderna e o caos.  Enquanto alguns buscam refinados sentidos de arte, outros se sentem cada vez mais prepotentes, com "artes" que na verdade, são produtos comerciais, e que de tão ruim, nem deveriam ser chamadas assim. SE também não são obras de guetos legítimos o que poderia ser tudo isso senão uma ditadura cultural? 

O som do Belle and Sebastian, essas duas músicas que estão aqui nesta postagem, são do álbum If You are Feeling Sinister e as duas músicas escolhidas estão bem no meio do cd, sendo faixas sequenciais, exatamente como estão nesta postagem.

Já o Roberto Carlos, é para nos fazer lembrar quem nós somos. Brasil, Brazuca, bom de papo e de cuca. Pois sim, o nosso maior cancioneiro é Roberto, na grande Mpb, ms existem muitos outros, claro e devemos ouvi-los também. Roberto diz muitas coisas, escolhemos duas de suas canções, uma diz da Terra, e outra das Coisas do Céu. E de fato, cremos que as duas músicas são a trilha sonora para esse nosso momento interno, uma fala das belezas naturais e outra avisa, o mestre que procuramos já existe, e Ele está de braços abertos, nos esperando. Cabe a nós decidirmos o que queremos fazer, se realmente fazer a diferença e criar uma nação duradoura ou simplesmente deixarmos nos levarmos pela fúria do momento, deixarmos o sangue falar mais alto e corrermos o risco de darmos um golpe em nós mesmos, que mais vai favorecer apenas os outros, tão ou mais mesquinhos do que aqueles que estão (ou com sorte, estiveram) no poder. 

 Assim temos duas grandes músicas do Roberto falando, uma claramente do Brasil e a outra falando de Fé,  dizendo o quanto devemos realmente dar importância a essa questão da Fé e da prioridade da nossa vida. Agora concordar com a roubalheira não dá mesmo. Mas esse já seria um outro assunto, para um outro texto, pois nessa postagem, o que nos motiva é o sentimento, a invocação dos arrepios, o descompasso do coração - aquilo que nos emociona e nos faz refletir. 

 

 

 

 


 E aqui, duas artes de outros de meus projetos on line. Esse todo colorido é minha capa do twitter, ou mais especificamente, do twitter de #edsonnando em @novalluz. E acima, em branco e preto, ou tons de cinza como preferem alguns, temos a arte de meu novo set disponível por enquanto só no soundcloud, em edsonnando. Link Aqui. Ou, se preferir, visualize aqui no blog mesmo (assim que o set completo estiver pronto, mais umas 10 a 12 faixas, ainda a serem mixadas, farei uma postagem sobre o set, comentando e etc...), veja:

















TOP SONGS FOR THIS POST

As Melhores canções para essa postagem


Essas canções não estão aqui a toda, são canções que me acompanham, desde distintas épocas de minha vida. Primeiro conheci Roberto, depois Belle And Sebastian e por fim, Clara Nunes. Canções que causam impacto e nos fazem refletir e muito. E se tivesse que por em sequência, ficaria assim:

 

5 - Belle And Sebastian - Get Me Away From Here, I'm Dying 

4 - Belle And Sebastian - If You Feeling Sinister

3 - Roberto Carlos - Verde e Amarelo

2 - Clara Nunes - As Forças Da Natureza

1 - Roberto Carlos - Jesus cristo

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.