Translate

Pesquisar este blog

sábado, 31 de maio de 2014

Melhore de Vida



Melhore de Vida - Update Yourself


POSTAGEM 83 do BLOG AUTORAL e de Cultura (Contra?) - Livros do Edson


O que você dá à vida, é aquilo que ela lhe devolve, triplicado.
Antigo ensinamento cosmológico (do universo)


CLARA NUNES - O Canto das Três Raças [feat Carlinhos Brown] - edsonnando's mix



Algumas Palavras Sobre o Mix: Conheci Clara Nunes em 2010, através de um cd, claro (uma coletânea) e essa música em especial, eu descobri em 2013-12; ouvindo, melhor, o cd. Dos compositores deste Canto, Paulo Cesar Pinheiro e Mauro Duarte, eu conhecia uma parte da obra de Paulo Cesar Pinheiro. Além do trabalho dos artistas e dos compositores, aprecio, também, e muito, o trabalho das gravadoras e dos selos. Sempre comprei cd. E eu conhecia as composições de Paulo César Pinheiro, do cd Samba SocialClub,  ao vivo, pela EMI. Neste cd as últimas faixas (da 13 a 20), são gravações de uma roda de samba em tributo ao Compositor, entre as faixas estão "Eu, hein, Rosa!", "Portela na Avenida" - também gravada por Clara Nunes - e "Espelho", entre outras.
    O Canto Das Três Raças, eu considero a faixa mais incrível que eu já ouvi de Clara Nunes. A gravação original de 1979 tem pouco mais de 4 minutos, é muito boa, mas do tanto que eu gosto de música, eu achei que ela deveria ser mais extensa, ter uma evolução mais climática e ser mais empolgante, ainda - claro, essa é a minha visão, e só tive essa visão graças a magnitude da gravação original e da excelente qualidade de todos os músicos e técnicos envolvidos na gravação original desta faixa. O mix eu fiz sozinho.
    A ideia do edit veio a minha mente aos poucos. Primeiro pensei na introdução. A criação do mix foi bem linear, agora entendo. Primeiro pensei em ampliar as batidas da introdução (percussão) e os dedilhares do violão (as primeiras cordas). Mas pensar em fazer é uma coisa e outra é fazer sem drum machine (bateria eletrônica), synth (sintetizador), teclado (keyboards) e samplebox (equipamento de loop e reloop). Eu componho com o software audacity, ou outro editor de áudio e com cd players, mixer, o super básico. Mas não estou aqui para reclamar do meu equipamento, é esse que eu tenho no momento mesmo, e está ótimo - by my face.
    [Dizem que um Dj (mixador ou compositor) tem que ter três coisas: feeling, repertório e técnica. Eu acrescentaria um quatro elemento, a fanabilidade, ou o atributo dos/das fãs. Gostar de música é fundamental, e gostar de quem gosta de música e mais imprescindível ainda. Não que todo dj tenha que tocar Avicii, Waleska Popozuda, Gustavo Lima ou Paramore, não é assim, ao menos, não, sempre. Do outro lado, não sou só eu quem toco Legião Urbana, Clara Nunes, Jorge Ben Jor ou os remix dos anos 90s do Memê.
    O que temos aqui, é que, como tem muita informação no mundo, e cada vez mais isso só aumenta, de modo exponencial, um dj que toque de tudo é literalmente impossível, por ter muita coisa, muita canção no mundo; mas um dj que toque de tudo, é virtualmente possível, pois o acesso a todas as canções está cada vez mais facilitado, isto, a ser pago ou não.
    Deste modo, eu não posso dizer que se meus remix não são super remixes, não o são graças ao equipamento que tenho (ou aquele que não tenho), não, pois não é só técnica que se usa para se ser um bom DJ, há que se considerar as músicas (repertório) e a hora, o jeito que as toca (feeling). Sendo que, quem é um grande apaixonado e entusiasmado por música, desconfiamos, tem todo esse processo de arte facilitado.
    Assim, ainda estou aprendendo a ser DJ, mesmo, já em tese, o sendo. ]
  Bem, depois da introdução dos tambores, resolvi pensar na cuíca, queria um loop de cuíca (espero que seja esse mesmo o instrumento), mas a equalização seria muito prejudicada, assim, deixei um loop sutil de cuíca após a introdução e até a volta dos dois minutos, onde começa a cuíca original com um efeito adicional da outra cuica, modificada por mim. E é basicamente isso, depois vieram mais os repiques (reloops) de cânone e o loop do sambão final e uns beats avulsos entre um loops e outro.
    Isso foi a montagem da nova "trilha" da música, depois disto ainda veio a edição da voz (com o falso começo, que se mostra uma vinheta para a acapella remixada de La La La 2014, de Shakira com Carlinhos Brown), da percussão, muito complexa para minha memória musical, mas aposto que meu ouvido ficou mais afinado depois desse mix, tenho que citar isso.

    E assim vai, ou melhor, assim fui compondo, regulando canais de áudio, checando breaks, efeitos e contando um tanto das batidas, mas eu não queria algo extremamente marcado, queria um som "livre" e solto.

SET Samba's Cup

- edsonnando tocando samba para a copa 2014




E essa ilustração aqui foi inspirada em Índios, da Legião Urbana e, também, no controle emocional que eu descobri que tenho quando passei por situações de estresse e sobrevivi quase ileso.

 


ARTE: Eu Quis Chorar e Eu Consegui Me Acalmar



VOCÊ QUER MESMO MELHORAR DE VIDA?

Quase sempre, quem está bem com seus pêlos, nesta vida, são aqueles que sabem que seus corpos espirituais serão pelados e que devem aproveitar para viver agora, como peludos, uma vez que podem não mais viverem nessa condição. Do mesmo modo, quem não gosta de pêlos, é aquele que certamente também não será contente em sua forma espiritual. E felizes aqueles que conseguem ver a profundidade que há em simples parábolas, que falam de coisas simples, como os pêlos da humanidade.

(Provérbio deste Blog)

    Pode parecer que todos venham a nos dizer "sim", quando perguntados sobre a questão acima, mas o sim, será mesmo que diz sim? Você já ouviu falar da teoria que dizer um "sim", implica, antes, em dizer muitos "não"?

    O que a maioria das pessoas entende por "se dar bem", ou "estar bem na vida" (já falamos sobre isso neste blog, mas vamos abordar o assunto de outro ponto, agora), na verdade não é exatamente bom. Acontece que a maioria das pessoas acredita que ter posses e bens, nome limpo, crediário, saúde, mil e uma garotas, etc e etc, é estar bem, mas isso ainda é ostentação, luxúria, vaidade, orgulho, egoísmo, apego e infantilidade espiritual. Estar bem, é ter encontrado a si mesmo e o seu Ego Transcendental Maior. E com sorte, sua tribo, sua galera.

        Sabe, muitos por aí pregam a imagem do holístico rico (ou o guru das estrelas de beverlly hills), mas, acontece que os verdadeiros gurus dos gurus, os mestres indianos, os mestres ascensionados e outros, quase sempre, tiveram uma vida de poucos bens, justamente por saber que não é aqui que devemos acumular riquezas e sim em outra esfera. Muitos gostam de dizer que a espiritualidade não tem nada a ver com a pobreza, mas sobre isso não nos esqueçamos que Jesus disse que é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino do Céu. E por quê?

    A espiritualidade não nos ensina que devemos ser rico para Deus amar-nos. A espiritualidade ensina a doar-se. Pois se você tiver apenas um cobertor, e seu amigo de infância, que tornou-se morador de rua, lhe pedir esse mesmo cobertor, você deve dar e dar também uma refeição e um lanche para mais tarde. Porque é isso que se espera de quem é bom, de verdade.

    Sabem o que mais está acontecendo? A juventude. No meu tempo de juventude, era errado ser jovem, ao menos ser jovem como eu, transgressor leve, questionador acirrado, um ícone grainde (grind, alternativo, como eu gosto de dizer), mas hoje, estamos ouvindo o infame e dançando e aplaudindo o vulgar. Aquele conhecimento cultural, transmitido pelos ritos e mitos, através de geração a geração, foi substituído pelo funk proibidão e o rap decadente. Agora não são mais os pais quem falam, são os pais quem escutam, e matam ou morrem. E essa juventude diz de pegar mil mulheres por noite. E o que é mulherada? Quem inventou esse termo horrível? O que é a mulherada? Uma consciência coletiva das mulheres que só pensa em foder pela bunda para que elas possam te foder pela cara? Não rubra não, anjo. É isso mesmo, é o que todos temos. E como diz Santo Agostino, não deveríamos nos envergonhar daquilo que Deus não exitou em criar.

    Mas a juventude infantiliza o sexo. Os jovens pensam que um filho nascerá bonito ou feio de acordo com o desempenho sexual dos pais, na cama, claro. Então, filhos de estupradores serão feios... Que absurdo! Todos os mais antigos sabem disso, sexo é sangue, se o sangue bater, nascem bons filhos. Isso a ciência chama de seleção natural, ou combinação genética, depende o caso, e ao que se refere, mas  a performance sexual interferindo na saúde e na aparência do filho? Nunca, se não, o que seriam dos bebês de proveta ou dos filhos de laboratório? Mas por que será que a mídia está dando atenção e crédito a essa juventude dos dias atuais? Já viram o apelo "jovem" nas novelas, nas igrejas, nas seitas corrompidas, nos partidos políticos, na faculdade e no mercado de trabalho? Puro acaso, dearling? - como diz um livro de RPG "criança, nada é por acaso".

    Adolescente é o público chave da web, a web é a bola midiática da vez, acabou com gravadoras musicais (que tanto eu aprecio), acabou com o mercado dos filmes pornôs, acabou com muita coisa, mas por outro lado possibilitou aberturas tecnológicas, além de novos mercados e possibilidades que antes não existiam. Assim, a própria mídia teve (e tem) que se reestruturar, e nada melhor do que aceitar a nova face do mundo, a face jovem, internáutica, conectada, às vezes, equivocada e sem muita experiência das coisas concretas.

    Por outro lado, vivemos a era do conhecimento acadêmico, a educação nunca antes foi tão acessível, e muitas faculdades abriram cursos on line para que as verdades científicas espalhem-se de vez, pelo mundo. Mas por que isso não acontece?

    Justamente, por isso não ser interessante a todos. O potencial lucrativo das novas técnicas e das novas formas de negócio é muito amplo, mas também é muito sensível, e se um conhecimento chave for exposto de modo inapropriado, muitas perdas podem ocorrer. Por isso é interessante que vídeos toscos ganhem milhões e milhões de acessos, para distrair a atenção de assuntos sérios. Por isso é bom que o funk baixo calão ganhe o gosto popular e diminua cada vez mais o nível de vocabulário da população em geral, assim os pobres continuarão ignorantes em seus direitos. Por isso tanto álcool, tanto crack, tanta maconha hidropônica, tanto pó por dez contos, para a população permanecer chapada, louca, insana por consumo, e alienada em consciência. Por isso, as seitas da ignorância se proliferam, o povo não quer pensar, quer consumir e achar que "deus" está com eles, vigiando seus bens, como um cão de guarda.

     E com tudo isso, cada vez mais, o mundo se fragmenta, e, o valor verdadeiro das coisas, parece se perder; mas, só se esquecem, que os mitos não morrem, se transformam; e, as faiscas que aparentavam irem se transformar em grandes fogueiras, na verdade, mostraram-se, ao longo da história, apenas, fogo de palha.

    E por isso meus prezados, leitores, amigos de vida e de internet, que interessa todos aqueles seus vídeos tolos, de jovens mostrando os pêlos pubianos, enfim, as nádegas, é isso que querem, isso que gera view? Por que baixar tanto conteúdo sem conteúdo?

    E o que mais sinto, é que parece que todos estão anestesiados, e demoram por acordar desse pesadelo do mau gosto. E para quem se acha muito pop, cheio de seguidores no facebook, todo soberbo em sua crítica e se achando alheio a vulgaridade que tomou conta dos dias atuais, eu digo a estes, aos espertos, aos visionários, aos que acham que são os grandes críticos, vocês não são tão independentes quanto pensam, inclusive suas indignações e indagações, são aquelas que esperam de ti, e já aceitam, pois sabem que o mundo nunca se conformou mesmo, mas sempre teve de se adaptar, para não ser consumido por ele mesmo.




ARTE DO POST


 2 novas imagens para ilustrar, na medida, essa atualização do blog; e sinta-se livre para comentar ou fazer alguma observação.


Astro Nuvens.






Sick! Doente, também baseado em "Índios" da Legião Urbana


O Blog também foi atualizado em:


  • RPG: Atualizações em Livros do Edson: A Urna Cúbica de Platina. Nos confins do labirinto da Coifa, os personagens começam a desvendar os verdadeiros mistérios deste labirinto eterno, quando descobrem Divilluz, um mago muito poderoso, e outros objetos de poder. LINK AQUI> 

  • POESIA: Novas poesias postadas no blog, dizendo sobre o presente, o futuro e mais do que tudo, de nossos passados e de nossas histórias. LINK AQUI>
  • HQ: Criei minha primeira história em quadros. Tem como personagem principal "O introspectivo" da saga O Conto do Noctâmbulo. Bem abstrata, essa nossa primeira edição virtual da Meia Boca Publicações. LINK AQUI>


Estou a captar auxílio para tocar esses dois projetos.

Se Interessou? Entre em contato, por favor.


Projeto teatral, humor com crítica consciente. O Teatro como um catalizador social, que altera ou que pode alterar a realidade de muitas comunidades e cidades inteiras.

E

Meio Boca Publicações, Projeto de um selo, web, literal, o que for, que intenta se especializar em literatura nova (fresh literature), com um quê nas artes visuais e nas comunicações mais experimentais, inclusive - chega de drama: experimentalismo e realismos incrível podem conviver em mesmas páginas e é isso que esse selo deseja demonstrar.






Vídeo do U tube

RICHARD VAGNER




Muito obrigado pela visita, pela leitura, pela audição e pela atenção.
Entre em contato.
E Até mais, tudo do bom pra você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.