Translate

Pesquisar este blog

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Na Sombra da Árvore


À SOMBRA da ÁRVORE da Posteridade
Postagem 121 de Livros do Edson, Blog de Edson Fernando (Edsonnando)




EDITORIAL:
Já disse isto neste blog, mas é muito bom repeti-lo: é muito bom ter leitores, e é melhor ainda, ter quem nos ouça e nos dê atenção.
Há certo tempo, já, Livros do Edson, Edsonnando, @Novalluz, enfim, meus álter-egos de escritor, DJ, e meu perfil no Twitter – respectivamente – tem causado um certo borbulho cult / underground na web. Será que só borbulhará, ou vai, de fato, lançar labaredas enormes, espigando pra muitos lados um pouco daquilo que faço a muitos?
Eu sempre escrevi (desde meus 7 / 8 anos), sempre mixei (desde meus 14 / 16 anos de idade), sempre fui dado à poesia (desde meus 17 / 18 anos) e aos jogos de RPG (desde os 12 anos). O interesse pelo serviço público e por contabilidade e informática oficial é mais recente – serviço público desde 2009, contabilidade e informática desde 2011. Hoje, em 2015, tenho 34 anos de idade. Sou do terceiro decanato de touro, com ascendente em libra.
Meu maior público real, de gente em club / boate deve ter sido de umas 500 / 750 pessoas, enquanto eu tocava (isso entre os anos de 1998 até 2007, com certa frequência boa, semanal); porém na web, o meu público virtual, tem mixagem que fiz que já bateu mais de 13000 audições (listen), outras com 8000, 5000, 4000, enfim, são grandes artistas que toco e mixo, mas não só por isso as audições são tantas – há algo de valioso no que faço. Uns chamam de feeling (inclusive, eu), outros de dons, outros de ligações com forças artísticas, e outros ainda dizem que deve ser sequelas da época que bebia tanto, e por isso devo ser tão afetado... brincadeira, claro.
O que quero dizer é que há uma certa tendência inusitada na web. Tem a marca dos 100 downloads nosSoundcloud, poxa, quando se bate essa marca, poxa a vida, com certeza, estes sons tem potencial de grande público, e de boa aceitação. Do mesmo modo, acho que nos blogs, o melhor é ter mais do que cinco anos de vida e alguma regularidade nas postagens; não sei, mas parece que o público leitor de blog gosta de ter certa ligação com os autores, por isso os blogs pessoais (de seus autores) quase sempre são tão bem aceitos, porque há uma similaridade de ideia, um reconhecimento, do leitor, nas vicissitudes ou vislumbres do autor. Por mais absurdo que isto possa parecer, os anos dão credibilidade as letras. E assim, passando em paralelo aos grandes booms de mais de 3 milhões de visualizações de vídeos mais toscos e satíricos, talvez, haja sobrevivência a outros conteúdos da web, como textos, mixagens, planilhas, slides, discursos, etc e etc.
Enquanto tem artistas que torcem o nariz para aquilo que toco e faço, outros artistas ficam felizes por eu tocar as suas canções e por mixá-los; são os dilemas da vida, onde ao dirigir-se intensamente ao sol, a árvore acaba por criar grandes sombras.
Esta postagem é dedicada a agradecer as visitas recentes que meu blog teve da Rússia, do Brasil, de Moçambique, de Portugal, da Alemanha e dos Estados Unidos. Muito obrigados, russos, russas, brasileiros, brasileiras, africanos, africanas, portugueses, alemães, e estadunidenses. E obrigado corretor do Word por ajudar com estes adjetivos-pátrios... Brincadeiras à parte, de verdade, muito obrigado mesmo, obrigado amigos estrangeiros, respeito e muito crescimento aos seus países, e, obrigado meus compatriotas, e que o Brasil possa seguir em frente “Brado e Forte”, como sempre.
Agradeço igualmente as audições, as visitas a este blog, ao meu perfil LinkedIn, Twitter, etc. Especialmente, neste blog, os destaquem ficam para as páginas de RPG (A Urna Cúbica de Platina), os links de atualizações, O Conto do Noctâmbulo, etc. Muito obrigado por manterem ativas as visitações à esta página, obrigado por compartilharem.
Vejam mais conteúdos que foram publicados por mim na web, principalmente na parte de textos.
E não deixem de ouvir minhas mixagens no ReverbnationPromodj e Soundlcoud. Muito Obrigado, e boa leitura. Boa audição. Boa Navegação!!! Boa Conexão.


Mas, O QUE MAIS FAZ A PESSOA QUE JÁ É EDSONNANDO e LIVROS DO EDSON?
Título
Link
Palavras-Chaves
A Arte da Linguagem e a Comunicação Artística
Comunicação, Arte, Linguagem.
A Sua Casa & Os Alicerces Dela
Construção, Regularização, Moradia, Alicerces.
A Literatura d’O Boêmio
Eduardo Waack, O Boêmio, Literatura, Livros.
O Uso da Remediação, da Precaução e da Previsão nas Empresas (LinkedIn)
Manutenção, Sistemas, Controle.
O Rigor dos Desafios dos Contabilistas
Contabilidade, Gestão, TI.

Nos links, um pouco mais sobre o que ando fazendo na web, principalmente na parte de escrita; só lembrando que atualmente, faço revisão e formatação de textos, e que, ainda bem, Graças aos Seres do Mais Alto, agora eu posso tirar algum sustento dos meus textos, de minhas revisões e minhas habilidades com computadores e textos. Posso dizer que meus textos tem alguma utilidade, sem dúvida alguma.


O Que é o Brasil – país enigma – o que é a vida
(notas livres)

I

Brasil tem a terrível cultura (ou falta de cultura melhor) de explorar as terras, as coisas da natureza, como se isso fosse à coisa mais natural do mundo.
Tem áreas de preservação (APPs) que não devem ter a presença do homem, em suas rotinas; porém, tem que ande pondo cavalos, porcos, galinhas e depósitos de material reciclado, senão tendas e churrasqueiras em APPs.
As áreas de preservação permanente surgiram justamente da necessidade de que o ser humano ( e a sociedade) tivesse a mínima consciência que as nascentes (e córregos e margens de rios) são importantes a toda a vivência e que ocupar estas áreas, ou mesmos tentar alterá-las, é um perigo.
O homem afeta o cenário natural, a paisagem da natureza, e a natureza dá o troco, também causando eventos que afetam e mudam todos os cenários das cidades e das estradas.
Tem cultura de que menino que se hominiza se torna homem, mais rápido, é mais macho, mais comedor (mais forte no sexo), mais trabalhador  - nisto o corpo se desenvolve e se matura, sem dúvida alguma, ao mesmo tempo em que a mente fica adormecida.
Cadê o intelecto deste povo? Algum Hanibal comeu as vossas massas cinzentas? Òh povo, vai a leitura, vai os livros, vai aos Machados, aos Drummonds, inspira-se nos Bilac, nos Alphonsos, nos passados meus caros, a inteligência deve vir dos antepassados.
Mas a vida deve ser vivida no futuro da tecnologia; não vá se perder em caminhos tão antigos quanto à composição das rochas intactas, que prazeres sem sentidos, em madrugadas frias, que a muitos já ceifou? Nos descasos, nos ódios, nas tolices como se fosse aquilo que devesse fazer? Será que sabe que por onde andei não seria interessante que trilhasse? Não gostaria que passasse a pobreza que passei, não vai lhe acrescentar nada a sua humildade, nem irá lhe dar resignação – mas é pobreza, e passei.

Já fui humilde, desde muito antes; mas a humildade não é engraçada, e agora eu quero ser mais alegre. Nada de soberbo: aos doutos o que é douto, aos simples, que fiquem com suas simplicidades, mesmos quando em ostentações.
Humildade é importante, mas nos dias atuais, quem é humilde o tempo todo é esmagado pelo mundo dos outros, egoístas e superficiais, mais bem divulgados e com um certo brilho (falso). Agora só se aceita a humildade alegre e muito bem cuidada.

II

Na minha morte, o que é a vida?
Na vida, o que é a morte?
Sê morre enquanto vive, mas vive para desmorrer;
Sê morre, e nem sabe que não mais está vivo,
Sê vivo nem sei mais quando deixo aqui se morro.
Oh boy, a sua juventude morre,
Ao consumir muito da sua saúde, você morre,
Ao nascer, você começa a viver e morrer.

A vida é a morte, e se morre para a vida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.