blog de Escritor: Edson Fernando



(interação: Aperte CTRL + ou CTRL - para ajustar o modo de visualização)
Aproveitando as imensas facilidades do mundo on line e, também, aproveitando o imenso conteúdo que tenho de material escrito, resolvi transcrever uns livros on line.
É um projeto longo, acho que vai levar um tempo, mas as semente foram lançadas. E ora, os frutos, os frutos serão os mais variados possíveis, como agregar novos leitores e aumentar a minha visibilidade,além de proporcionar um pouco de diversão e cultura gratuitamente a todos vocês.Espero que gostem!

Boa Leitura, Leitores Amigos.

Esta publicação confirma a minha propriedade do Web site e que este Web
site respeita as políticas do programa e os Termos de utilização do Google
AdSense. partner-pub-0072061571065124

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.






Visualizar perfil de Edson Souza no LinkedIn




Translate

Pesquisar este blog

Seja Bem Vindo, Amigo, Por Muito Tempo Lhe Esperei, agora, Fique à Vontade!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

SOBRE O QUE HÁ DE VALIOSO NA VIDA

EDITORIAL

   Essa semana não deu para publicar durante o sábado/domingo, atrasou um pouco, mas estamos aí e as atividades continuam, como sabem, o site ainda não está 100 % em seu formato pleno e muitas mudanças aconteceram por aqui. A mais visível é o Link Livro O Gládio Sempterno que tivemos os arquivos digitados perdidos e agora estamos transcrevendo outros estilos de poemas, As Prosas Matemáticas, letras e números, numa neo poética brasileira. Amigos e amigas que acompanham esse singelo blog, estamos abertos críticas, sugestões e contatos por aqui, na nossa página do facebook, por carta ou por email em

edsonnando@live.com

Bem, hoje continuaremos a Ver o Texto Sobre o que há de valioso na Vida parte 2 de 4 e as nossas atualizações semanais. 

Boa Leitura.  

 

 


2

Considero como valioso o belo, o estético, a diversidade do estético. O que é o belo? Por que agrada o olhar? Até que pontos nos contentamos em olhar o belo sem queremos ele possuir? Até quanto suportamos só olhar o belo?

    Há quem sente o bonito. Que consegue ver a beleza encravada nas letras. Há quem ache na escrita o gosto pela vida. Sim e eles estão certos: A beleza pertence a literatura. Porém, necessita-se de gosto e disposição para deleitar-se na beleza literata. Não serão em primeiros livros, mesmo se ficassem lendo-os por ano, que se obterá o prazer da leitura. Tal prazer só virá quando o leitor conseguir viver que o tempo alterou-se enquanto ele lia e até mesmo - sutilmente - o espaço a seu redor era outro, enquanto lia. Essa é a verdadeira magia de ler/escrever e só depois de um tempo, a adquirimos,mas garanto, é muito compensadora. Assim, na leitura ideal, o leitor se fascina, questiona, sofre e envolve-se em prazer, isso porque o escritor  -  se escreveu bem  - fê-lo de uma forma tão impressionante quanto para o personagem quanto para o público. Um bom livro, é no mínimo, um espelho de dois lados que transmite sentimentos, vivências, sabedoria e beleza entre escritor e leitor. Sim, exato, existe valor aqui. 

     As artes, em geral, são valiosas, também, além de prazerosas. Mas a arte é o todo. E os artistas são quem fazem a arte, logo um mau artista fará uma arte terrível. E exatamente nisso acho que a arte se perdeu, não a arte dos grandes artistas e  gênios, não está está a salva, fala da artinha, pois, hoje em dia, quem faz Grandes Artes? Será que a arte feita hoje em dia, tem alguma coisa de atemporal ou é apenas um modismo. O que vemos são apresentadores chamando "cantores" que mal acabaram de lançar um single de artistas, ou bandas de músicas fútil e efêmera de artistas. Artista não é só quem faz arte? Será que muitas ou quase todas as músicas que tocam na rádio agora, tem realmente alguma coisa de artística?

    Vejamos com calma. De um lado temos artistas renomados; de outro lado,temos os jovens talentosos;  e  do outro lado ainda, temos os velhos artistas, muito experientes e competentes; e, finalmente, temos os artistas populares, que pra mim se dividem em dois tipos, os sinceros e os gananciosos ( há arte popular, não há nada de errado nisso, mas muitos artistas falam que são pops só para lucrarem, pra mim, a arte deve vir em primeiro lugar): os artistas populares tendem a fazer uma "arte" mais voltada para uma tendência de comércio musical, também conhecido esse conceito em economia como tendência de mercado, e justamente nessa tendencia, separamos os verdadeiros artistas populares dos gananciosos, os verdeiros artistas SEMPRE dão um jeito de impregnar suas Artes com uma essência que terá o poder de transmitir aquela tendência de época, aquele estilo, aquela toada para outras eras, bastando que um pesquisador no futuro, vá a fonte e conhece a canção; já aqueles que só fazem as tendências de mercado pensando no dinheiro, no status pessoal, note que tudo os favorece, a TV,  as revistas, as rádios, os sites e até mesmo as próprias gravadoras do mercado fonográfico; ocorre que esses "artistas" que fazem essa "arte" mais comercial, estão apenas fazendo parte de um modismo. Isso será notado pois o som terá uma marca comercial e qualquer dj do futuro poderá perceber isso, isso os djs chamam de baba, som baba.

    É fácil notar um verdadeiro artista, aquele que faz arte dele ultrapassar o sentido de tempo (quem fala que Gil Vicente é muito antigo, logo a obra dele já passou?). E esses artistas brasileiros, será que daqui a cinquenta anos serão sequer lembrados? E sabem por quê? Porque, infelizmente, em muitos não há nada de valioso em suas obras. Já que citei, continuarei com ele. Gil Vicente deixou uma obra artística intelectual de conteúdo indiscutível, Gil Vicente fundou o teatro popular português, e nem por isso, sua arte ficou restrita só àquela época, a arte dele é eterna; digo, há o que estudar na arte dele, justamente por ser uma Bela Arte, toda arte bela deve ser estudada, sempre há espaço e tempo para elas.

    Agora, não se poderá pegar um cd comercial de hoje e vir a estudar daqui a um século  -  a maioria dos cds comerciais não tem mais vez em média um ou dois anos depois de lançados  -  não existiria mais importância essa obra, e certamente um bom artista popular terá sintetizado todo esse conceito de época em uma faixa ou álbum.

    Mas calma,nem tudo está perdido, ainda temos grandes artistas. Pena que grandes artistas NÃO DÃO ibope, e nas tvs que só consideramo hoje, o agora, o que importa é o lucro, é o ibope. Eles pouco se importam com o conteúdo que tais atrações estão de fato trazendo, eles querem patrocinadores e uma propaganda musical de sucesso. O que importa, resumindo, são que essas atrações tolas, é o que o povo gosta.

    Mas será mesmo que o povo pode gostar disso? será que a população está tão cansada aos domingos, que nem se importa mais em ver atrações que são um tolo modismo? será que a cultura virou sinônimo de tudo que é ininteligível? 

    A arte burra venceu? 


 

 

O que aconteceu aqui

Muita coisa aconteceu durante a semana, entretanto,pouco alarde foi feito.

Nós tivemos atualizações nos seguintes links:

O CONTO DO NOCTÂMBULO, link aqui 

 

ENSAIOS, RELÍQUIAS E ACESSÓRIOS, link aqui 

agora nesse link, postaremos além do que já postávamos, também Ensaios Filosóficos, por enquanto,mas tem mais coisa pra vir ainda.

ATUALIZAÇÕES, link aqui

e agora, temos uma mexida nas fontes e cores da página e mudamos alguns widget.

PROSA MATEMÁTICA, link aqui

acaso queiram algum poema dos antigos que estavam aqui,por favor, entrem em contato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.