blog de Escritor: Edson Fernando



(interação: Aperte CTRL + ou CTRL - para ajustar o modo de visualização)
Aproveitando as imensas facilidades do mundo on line e, também, aproveitando o imenso conteúdo que tenho de material escrito, resolvi transcrever uns livros on line.
É um projeto longo, acho que vai levar um tempo, mas as semente foram lançadas. E ora, os frutos, os frutos serão os mais variados possíveis, como agregar novos leitores e aumentar a minha visibilidade,além de proporcionar um pouco de diversão e cultura gratuitamente a todos vocês.Espero que gostem!

Boa Leitura, Leitores Amigos.

Esta publicação confirma a minha propriedade do Web site e que este Web
site respeita as políticas do programa e os Termos de utilização do Google
AdSense. partner-pub-0072061571065124

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.






Visualizar perfil de Edson Souza no LinkedIn




Translate

Pesquisar este blog

Seja Bem Vindo, Amigo, Por Muito Tempo Lhe Esperei, agora, Fique à Vontade!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

II ♣

Livros do Edson

Postagem



 →  II

(2 de Paus)

as dualidades que devem coexistir e evoluir juntas.



PALAVRAS DO AUTOR:

2° Quinzena de Agosto / 2014 - Prefácio da Postagem 92


Seria muito fácil e pouco evolutivo, se tudo na vida,

Se baseasse apenas naquilo que temos afinidades -

"então você só atrai semelhante para a sua vida,

e nada lhe tira de sua zona de conforto?

Então, também você nunca aprende com o diverso

E nem se aprimora, ao passar pelas experiências conflitantes?



o Dois de Paus (II ♣) trata de um conjunto de forças e esforços,

situações ou seres que se atraem ou se sentem atraídos,

para juntos empreenderem alguma coisa concreta -

todavia, tal conjunto de seres e esforços não é homogêneo,

e, qualquer oposição maior do que a que já há,

tende a evocar animosidades instintivas...




Isto é o    II  de   ♣   


  • são dois limites que não se complementam, mas se ponderam;

  • são duas forças: poderosas e necessárias; mas, não harmoniosas;

  • uma escolha entre duas alternativas, duas possibilidades, que tendem a ser incompatíveis; e, por fim,

  • dois fatores estranhos e controversos, que necessariamente devem estar em uma mesma equação.

Boa leitura, e navegação, também.





Vídeo YouTube



 MAYSA - Ne Me Quite Pas






RPG


A Pedra da Lei - Continuação da Urna Cúbica de Platina.

    É incrível, mas a Urna Cúbica de Platina, já foi elaborada, desde o início, para ser publicada, se tornar filme, ou ser postada em um blog - como o é hoje. Acontece, que a Crônica em si, levou cerca de 11 anos para ficar pronta - por isto mesmo, dizíamos que "postar" a Urna Cúbica de Platina, levará mais de décadas, porque ela foi escrita em, mais ou menos, dez anos. O Narrador original da Crônica, Edson Souza, levou cerca de 7 anos só para entender o jogo Mago: A Ascensão e escrever até o ponto final do labirinto da Coifa. Mais três anos jogando a crônica (escrevendo Capítulos até a Alta Arcádia e a Autoctônia, o Cosmos Verdadeiro...) e mais um ano de desenvolvimentos posteriores, isto sem contar o tempo dispendido para digitar (digitalizar) e publicar (postar), a mesma crônica, no blog, em que agora você lê, prezado Leitor. Mais textos suplementares (e bem explicativos - claros - como este, que pode ser lido à seguir) serão postados neste url.

    Assim, a própria crônica da Urna Original tinha estes textos, onde o Narrador, de tempos em tempos, lia aos jogadores, esclarecendo alguns pontos - e, em alguma postagem deste blog, talvez Conheça o RPG, na parte da Umbra Astral, foi transcrito um grifo (conto, profecia, lenda de Garou...) do Chris East sobre um dos prováveis desfechos dos personagens. Na própria página da Urna, II e subsequentes, veremos mais destas falas magnas do Narrador da Crônica.

    E agora, a seguir, um dos prefácios originais da Pedra Lei - a nome que a crônica assumirá quando os jogadores tiverem posse do Talismã:

Pedra da Lei. 

    Tudo começou em 1997, quando Edson adquiri o livro Mago: A Ascensão. Depois de sete anos, em 2004 começa-se a jogar a 1° História do jogo que iria vingar pra valer - um história com regularidade, um jogo com audiência - a Urna Cúbica de Platina, um jogo essencialmente de Mago com pitadas de Lobisomem: O Apocalipse.

      Ou seja, isto se refere a desde o começo do jogo, onde os Magos iriam ter que interagir com os Garou, através da personagem do Joelson. E se mantem depois, com encontros com espíritos e viagens a reinos umbrais.

      A partir disto, o jogo se tornou épico: Com Incursões aos reinos umbrais (espirituais); Intrigas com a Tecnocracia; Viagens Temporais; Reinos na Idade Média; a Presença ameaçadora de Demônios; o Mundo de 2022 (ou de 2034); e a Arcádia e a Altíssima Umbra.

     Nos reinos espirituais já é possível notar a imensa e maciça presença de outros seres (exóticos) do Mundo das Trevas, os Sprites, claramente inspirado nas fadas de Changeling: O  Sonhar (ainda em Changeling, o Troll é um bom exemplo da sintonia deste jogo de Mago com toda a cosmologia e diversidade cultural do World of Darkness), além da Dragonesa, da parte da Tumba do Lord Hund (inspirado em Múmia: A Ressurreição, etc). É interessante notar que o autor da crônica, não tinha todos estes livros (apresentados no final) em 2004 e só foi em 2010, que o autor acabou por concluir a bibliografia indicada, ao final deste texto.

     A interação com a tecnocracia é notável, também, e, para tanto quanto, no mundo de 2022 (ou 2034), assim como é notada no princípio do jogo, afinal, de um modo ou de outro, o jogo se passa pós 2000, uma fase em que Xino deveria estar velho e um tanto quanto debilitado, no mundo físico. E pós 2000, certamente, é terreno fértil para o paradigma tecnocrata.

     Na viajem temporal temos o Lorde Visconde "333" Talos Perdix (Rsavalà), que faz parte da inspiração em Demônio: A Queda com Mago. Na viagem temporal temos ainda a influência total do cenário descrito em vampiro: A Idade das Trevas.

     E no mundo atual além dos debates de estilos entre a visão tecnocrata e dos magos tradicionalistas, temos ainda, um sub-fundo noir, de Destiny's Price, que corrompe (ou diverte, depende do ponto de vista) os adormecidos com drogas, armas, sexos e corrupção política e policial. Manha e Mendicância parecem nunca serem demais em cenários de fundos, como estes...

     E assim, para melhor entender todos os enredos complexos e subtramas sutis desta gigantesca crônica de Mago, indicamos a seguir, o conjunto de todos os livros do sistema Storytelling, que foram usados para a criação e narração desta crônica (alguns livros sequer foram usados em jogo, mas servem, sempre de uma boa referência, de um modo ou de outro):


|_____________________/_____________________|



Bibliografia Utilizada 

[Um asterisco indica um bom material de referência para esta crônica. Dois asteriscos indicam uma ótima referência para o jogar e o desenvolver desta crônica]


  •     Mago: A Ascensão, 2° Edição **;

  •     Destiny's Price *;

  •     Lobisomem: o Apocalipse (Xerox) **;

  •     Vampire: The Players Guide;

  •     Caçadores Caçados ;

  •     Changeling: O Sonhar  *;

  •     Múmia: A Ressurreição  *;

  •     Vampiro: A Idade das Trevas  **;

  •     Demônio: A Queda  *;

  •     O Guia da Tecnocracia  *; e o

  •    Livro das Sombras: (e/ ou) Guia das Tradições [livro(s) não utilizado(s), mas sugerido(s)].




Quadro sobre a Crônica d'A Urna Cúbica de Platina






Nem Tudo na Vida é Mensurável


I'm coming out and now my vision is so clear
If I could change my state of mind
Then I would disappear
The love I get from you
Is something I can't chance
Then I could let you slip away without a second glance
Why can't I realize, I'm fighting for my life

Woah-oah-oah-oah
Woah-oah-oah-oah

Woah-oah, oah, oah
Woah-oah, oah, oah

This is like a flashback
This is like a dream
This is like all the things
You can fit inside a memory - Calvin Harris - Flashback


    Nem tudo na vida tem medida, para todas as outras coisas, temos a ciência contábil. Mas este texto não é sobre contabilidade, mas sim sobre, as outras coisas, aquelas que não se pode medir - e isto não é um comercial de cartão de crédito, também. E crédito não é um dinheiro que você não tem tem, na verdade, crédito é uma modalidade de financiamento, que se bem usada, pode ser uma ótima arma nas mãos dos consumidores - e como quase tudo, a diferença entre o veneno e a cura é apenas a dose, os próprios soros são feitos à partir das toxinas. Senhores, vamos explorar aquilos que poucos veem valor. Aquilo que não podemos medir. 

    A contabilidade está relacionada - não, aos impostos e taxas, apenas, não!! - , está intimamente ligada com a apuração do resultado; dizer o que aconteceu contabilmente com uma empresa, é apurar como ela estava no início do período e como ela se encontra no final do período. Isso se aplica ao que é mensurável ou não, mas se não for mensurável deve ser estimável. De um bem estimável, disse-se de marcas, patentes e direitos autorais - entre outros -, e, não é possível precisar, exatamente, quanto vale um bem intangível, mas pode-se chegar o mais perto possível deste valor x - utilizando-se  das ferramentas certas, dos contabilistas. Cada transação de jogador de futebol no mercado (europeu, principalmente), a respeito daquelas somas altíssimas, é devidamente apurada e estimada, como prêmio por títulos e participações, direitos de imagem e propaganda, royalties, etc e etc.

    Mas para aquilo que não se pode estimar? Como reagir? Ainda, contabilmente, deve-se usar o Princípio Fundamental mais apropriado, por exemplo, como mensurar o valor da água, do ar, da vida? Para cada caso e aplicação, há uma procedimento contábil correto, valor mediano de renda (ou vida estimada) da pessoa (ou do bem), multiplicado pela quantidade de anos (ou de tempo de uso) - é apenas uma fórmula geral de estimativa. Mas mesmo assim, devemos assumir que não se pode medir, exatamente, a força do amor, da maternidade, da paternidade, da caridade sincera, da amizade verdadeira e dos momentos únicos do existir?

    Para isto não há tratamento contábil, nem mesmo Goodwill, cabível! Atentamos que coisas assim deveriam realmente nos importar e é para onde deveríamos voltar as nossas atenções mais afetuosas.

    Como deve ser auspicioso ter a capacidade da fala mansa, em público. Onde, ao ouvir um disparate, calmamente, se tem a capacidade de explicar, de expor, de modo esclarecedor e pacífico ,um outro ponto de vista, ou uma consideração mais pontual.

    Pelas ruas, ouve-se, "Crédito é um dinheiro que você não tem". Na verdade, os populares fazem esta associação, pelo motivo das "funcionalidades" de crédito e débito de cartões bancários, assim dizem que o débito é para quando se desconta o "dinheiro" na hora da compra, basicamente, e crédito, é para quando você está "fiando" a fatura da compra. Todavia, toda operação de crédito tem um custo, evidente ou não, e mesmo as operações de débito, podem ter taxas e tarifas, em certos casos, para os comerciantes, no Brasil, qualquer operação financeira com cartão tem um custo de uso, e mesmo as operações com dinheiro, acabam tendo custos extras, como impostos, seguros e contribuições. Assim, é muito tolo quem se crer esperto em achar apenas que "débito é dinheiro que se tem, e crédito é dinheiro que se 'fia'", na verdade, tudo é muito mais complexo do que de fato se apresenta, e ainda assim, existem muitos que só querem enganar os outros, em números elevados a 4° potência, ou pior ainda.

    Sabemos como é, deveras, árduo, viver, em um mundo, ao que tudo indica, 98% capitalista, sem ter nada mais que contabilizar além de contas do seu passivo circulantes (dívidas e pendências de curto prazo, até um ano) e protestos consolidados (dívidas permanentes), todavia, creia-nos, o mais-mais, o maior e mais importante dos tesouros desta terra, em que vivemos, não são os tesouros materiais, são os tesouros que não podemos medir, nem mensurar; onde nada, nenhum esforço, que façamos, para tê-los, somente para nós, dará certo, porque são os verdadeiros bens, que o próprio Cosmos quis nos dar e que assim seja, uma vez que por mais que nós fizéssemos forço, nós não seríamos capazes, de sequer, imaginar algo tão grandioso, como acabou sendo tal tesouro imaterial que a Magnitude das Coisas quis nos presentear.





Esboços



NOTA: Nesta sessão (Esboços) do nosso blog, teremos um conteúdo diferenciado e, na medida do possível, inovador, além de antenado às novas tendências - sejam elas realmente novas e inéditas, ou sejam elas retrowaves (ondas-retrô, que traz para a voga uma tendência, considerada como ultrapassada) - , ou seja, tudo isto pode se resumir em uma só palavras - esta sessão diz de "conceitos".

Mas detalhe: a sessão Esboços traz conceitos que não estão inteiramente determinados ou plenamente concluídos, diz de probabilidades que ainda não se cumpriram inteiramente, e pretende especular sobre tudo aquilo que há de ser, mas ainda, não necessariamente, realmente, o é.


E começamos com desenhos 3d com texturas, sombra e luz. Esperamos que gostem e compartilhem!!!





Sal Soturno - Arte 3d Simples






Sal "Inner Light" Soturno - arte 3d com alguns efeitos de luz e sobreposições.






Vídeo YouTube



PASSAGER 10 - Mirage (EDX's 5un5hine Remix)







Álbuns Essenciais... Belle & Sebastian




Quadro : Discografia do Belle & Sebastian. Esta informação está exatamente igual aos dados fornecidos pelo Belle & Sebastian e-mail oficial.


Vídeo YouTube



BELLE & SEBASTIAN - There's Too Much Love







Arte do Post

(".jpeg" e ".gif")

Certezas Abstratas &

Rupturas das Certezas Abstratas



Arte ".jpeg" → Cérebro Abstrato





Arte ".gif" → Abstratismo Rompido






Arte: State of Rotate. Feita especialmente para esta postagem.

















Releitura - State of Rotate (animado)


 Até a próxima, pessoal; e não deixem de visitar as outras páginas deste blog e de acessar outros conteúdos de Edsonnando, Hu Man Nite, @novalluz (alcunhas e nomes artísticos de)→ Edson Souza



 

Arte Final - O Mato do Edson

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.