blog de Escritor: Edson Fernando



(interação: Aperte CTRL + ou CTRL - para ajustar o modo de visualização)
Aproveitando as imensas facilidades do mundo on line e, também, aproveitando o imenso conteúdo que tenho de material escrito, resolvi transcrever uns livros on line.
É um projeto longo, acho que vai levar um tempo, mas as semente foram lançadas. E ora, os frutos, os frutos serão os mais variados possíveis, como agregar novos leitores e aumentar a minha visibilidade,além de proporcionar um pouco de diversão e cultura gratuitamente a todos vocês.Espero que gostem!

Boa Leitura, Leitores Amigos.

Esta publicação confirma a minha propriedade do Web site e que este Web
site respeita as políticas do programa e os Termos de utilização do Google
AdSense. partner-pub-0072061571065124

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.






Visualizar perfil de Edson Souza no LinkedIn




Translate

Pesquisar este blog

Seja Bem Vindo, Amigo, Por Muito Tempo Lhe Esperei, agora, Fique à Vontade!

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A Arte Tardia



A ARTE QUE TARDA MAS NÃO FALHA


Editorial

    Queria colocar um poema do Drummond (Carlos Drummond de Andrade) neste blog, um não, dois ou três, poemas que gosto muito como: Nosso Tempo, Os Ombros Suportam o Mundo e E Agora, José? Mas eu não vou pô-los, não. Motivos? Claro que há. Já devem ter publicado estes poemas na internet, deve ter com certeza, é só procurar. São poemas conhecidos, famosos, clássicos (na verdade, fazem parte da terceira fase do modernismo brasileiro, e também alguns poemas de Drummond, são pós-modernistas - e se curso Contábeis, igual(e)mente poderia cursar Engenharia Mecânica, Letras, Psicologia, Filosofia, Desenho Industrial ou Artes, Plásticas ou Cênicas, ou ambas, sem citar imagem e som ou música, será que mixar e tocar musica eletrônica conta como instrumento que se deve saber para entrar em um Curso Superior de Música? ; mas, no país dos presidentes semi analfabetos, estudante não pode ganhar mais do que uma bolsa. Mas talvez nem seja isso, o fado existe e deve ser considerado, e não pretendo criticar ninguém, nem o país com esse post - , o que não nos impede de dizer que os poemas do Drummond são clássicos, são os clássicos drummondianos), e eles estão nas bibliotecas, nas mentes das pessoas cultas e nos ouvidos de leitores atentos. Por estes e outros motivos, não irei transcrevê-los, mas é importante que saibam, um dos, ou mesmo os três, poemas do Drummond citados neste parágrafo, estão intrinsecamente nessa postagem.

Boa leitura, amigos. E aproveitando, vamos agradecer?...

Muito Obrigado por elevarem o blog à categoria dos "acima das 5000 visualizações", uma grande honra para mim, levando em conta o teor do blog e a proposta alternativa cultural do mesmo. Very Thanks, like as I enjoy to say. E, Thank you, one more time, very much. Aproveitando, inclusive, para agradecer as muitas audições de minhas mixagens, minhas experiências auditivas, obrigado. Eu, sinceramente, não esperava que seria tão intenso, ainda mais, eu não estando conectado 24 hrs por dia, mas antes, restringi-se minhas conexões a 1 hora por dia, 2 dias por semana. Mas claro, isso não me impede de produzir offline, em casa, sem net. E Obrigado, tudo isto é muito importante para mim. Principalmente o apoio e a presença de vocês, nas coisas que faço pela internet. E não se esqueçam, nós somos a internet.

Ela é feita por cada um dos programadores de linux (cada um ao seu modo), que criaram muitos dos programas que uso hoje, obrigado, a todos vocês, que desenvolveram esse software, sem pensar em lucro em primeiro lugar. Agradecer a cada autor que lí, que me inspirou a escrever deste modo, e a listas são enormes, mesmo, por isto agradeço em geral, sem citar nomes específicos. Agradeço a quem desenvolveu a tecnologia dos moldens, quem configura Agregadores e a automatiza o protocolo do Radius. Gente, pessoas assim, devemos agradecer sempre, igual agradecemos aos artistas que compoem as músicas e as Artes que tanto nos tocam.

Assim: Muito Obrigado, igualmente aos artistas, programadores, leitores, ouvintes e internautas, todos nós, juntos, somos a internet - e como fico triste quando em lan houses, vejo que a juventude de hoje, só vê "clipes" funk ostentação, se entretê com joguinhos tolos e desfilam seus egos nas redes sociais, mas, deixa estar, deixa do jeito que a vida quer, pois a Arte pode tardar, mas jamais falhar.



share





Crônica Literária:

Seria Mesmo Para o Teu Bem?



Diz-se muito que isto ou aquilo é para o "Meu Bem". Que se não tem aquele amor, não vai nada bem. Que se não tem paz em casa, não está tudo bem. Que se não tem saúde, emprego, renda e casa, então, como dizer que as coisas vão bem, quando alguém pergunta: "E aí, tudo bem?"

Responda "Sim", diga que está tudo bem. Não diga isto disfarçando, com um ar irônico, cínico, prepotente ou ensandecido. Diga simplesmente, que está tudo bem. E se lhe questionarem que você aparenta estar cansado, fraco, magro, á pé, queimado do sol, sem nada o que comemorar, não diga que está bem porque tem gente que esteja passando fome neste mesmo exato momento, ou tem gente que esteja vivendo de modo bem pior do que o teu, estas coisas não ajudam o mundo a melhorar, só analisam a maldade e nada de concreto acrescentam a resolução do problema, e é como bem diz um excelente ditado espírita (na verdade, todos somos espíritas, ou melhor espíritos, mesmo sem saber, inclusive que nega tudo isso e diz que o editor deste blog "está amarrado", estou amarrado com os dogmas do mestre divino, que tudo disse e ao mesmo tempo, nada exigia, senão, que se largasse tudo e que o seguisse, o que é isso se não "(Deixa a Vida Ser) Do Jeito Que A Vida Quer (Ser) Deste Jeito"? inspirado em Benito de Paula), "Jamais digna que o Mundo é Injusto quando é Justamente do chão do mundo que se recolhe a bênção do pão". E muito menos queira achar culpados para o sofrimento dos outros, afinal, como saber a que Sina, a qual Fado, a que Momento do Destino, estão, eles a viver.

Se a pessoa achar tudo isso besteira, e disser que tais coisas não podem ser comprovadas, não recorra a mil imagens para convencer o outro, diga que está tudo bem, apenas porque o dia está mais ou menos igual ao de ontem, assim, mesmo que não esteja tudo bem como gostaria, ainda assim é tempo de agradecer e dizer que está bem, porque ainda há tempo para se fazer tudo de outro modo o que não ficou exatamente do jeito que se esperava. E o dia de ontem não foi o tempo perdido, em absoluto, mas, foi antes, o tempo da nossa aprendizagem ou da nossa depuração, quiça, da nossa espera - a espera da esperança, ou a ter esperança em sua espera.



Arte Feita Em GIMP


    Tá bom vai: Vou explicar como faço e o que acho de meu próprio desenho; deste, no caso.
   Na verdade, eu comecei este desenho (intitulado "O Manto", agora que reparei, não o assinei) com o traço ou o "traçado" (às vezes, começo com as cores). Fiz o traçado livre, com o mouse pad do notebook, mesmo (logo eu, que nem sabia usar um destes em 2012); depois, do desenho livre, como gosto de chamar esta etapa, veio a fase de delinear as formas livres, de modo a fechá-las. É importante deixar "fechados" os "traçados" do desenho, porque deste modo, torna-se mais simplificado os demais processos de pintura.
   O processo que usei depois, foi o colorir e preencher (isto se faz com Degradês, Latas de Tinta, Texturas, Factuais, Relevo, Padrões etc e etc).
   Depois é o acabamento, que é regular a luz das cores, se fosse o caso, por as bordas, assinar, etc e etc. Simples, não? Mas tem que ter a criatividade, que isto o Mandriva Linux e o GIMP não fazem por si só, ainda.
    Esta é a parte do fazer mesmo. Agora em termos simbólicos, creio que este desenho queira dizer algo como o Mito do Minotauro, Ariadne e Teseu - não só pelo labirinto que há no desenho, mas também pelas figuras disformes que existe dentro e além do labirinto.
     Na verdade são três figuras principais: que é o eclipse na lua, uma; coberta pelo Manto, outra, e finalmente a figura em forma de factuais - qual é a Ariadne? Onde está Teseu? O que há além do labirinto do minotauro, o que há do outro lado? Eu pensei nestas perguntas quando fiz o quadro, que só ficou pronto depois da última observação, daí o inclinei à esquerda, e ficou como está agora.
    O Manto é a textura meio cinza azulada, notem como defino bem minhas cores, que em absoluto não está a vestir alguém, tanto quanto está a cobrir algo, ou uma figura. E acima do manto, um eclipse, provavelmente do Lua com um planeta gigante e gasoso - Júpiter?
     É isso, dúvidas,perguntem, compartilhem e para terminar esta seção
     Uma visão do autor sobre o quadro: Ariadne é a Lua, o labirinto é onde está Teseu, em algum lugar lá, a forma que encobre o manto pode ser o Minotauro, alegórico, claro, e o manto cobre uma vítima do minotauro, que de tão deformada, nem pôde ser exposta, enquanto um eclipse tenta barrar a luz da amada de Teseu... chega, agora, tirem suas próprias conclusões!

TEXTO PRINCIPAL


ARTE QUE TARDA MAS NÃO FALHA


Dedicado a Eduardo Waack, Editor d'O Boêmio


    Certa vez, no final dos anos 90, escrevi uma carta ao Editor d'O Boêmio, Eduardo waack, meu amigo, pessoa muito especial e prezada muito, por mim, e por muitos, seja no Brasil todo ou no exterior, inclusive, e eu o considero muito, mesmo, tanto por ele um ser humano exemplar, e ter uma família harmonizada, como por ser um Grande Artista, principalmente das Palavras Salutares. E, Na carta aO Boêmio, eu dizia algo como "sabes que muitos escritores nascem póstumos, mas este não é o teu caso, prezado amigo". E pois bem, senhores, é sobre esta ótica que falaremos. A Arte que pode até demorar, mas um dia chega a ter o seu valor reconhecido; pois, certas coisas não são assimiladas imediatamente pelas grandes Massas (o techno é um bom exemplo disto, mesmo hoje, em 2014), mas mesmo que um único ser (público ou artista) a assimle e aprecie, ainda assim, aquela arte, que parecia esquecida, estará a viver, para sempre, mesmo incógnita ou conhecida por poucos, até que um dia, venha a estar no seu devido lugar, e apreciada por quem mereça - pois a mim, todo artista deve ser exposto, deve ser reconhecido, só assim, conheceremos a nós mesmos - ser (a ter) decifrada. E se já é assim desde os anos 80, com o interesse por outras correntes e culturas que não só as do mainstream, as culturas pop, ou os best-sellers, o que dirá hoje? Onde temos, nós, todos, a humanidade inteira, muitos talentosos pesquisadores autônomos, farejadores de livros raros, edições limitadas, hoje temos grandes mentes pensantes no mundo e a chance de um grande artista ser encontrado neste cenário é muito grande, pois tenha certeza, passada a fase do consumismo banal de cenas curiosas na internet, tenha Fé, o eterno permanecerá. A arte verdadeiramente nossa de cada dia, esquecida em livros de 1000 exemplares, deixada em cadernos empoeirados em alguma estante mal iluminada, haverá, um dia, certamente, onde virá a ser exposta ao imenso clarão da boa apreciação.

    A Arte é o mais nobre trabalho humano, por superar a limitada condição humana no espaço-tempo, e colocar a obra, e consequentemente, o artista em um patamar eterno, de durável e longo (indefinido) prazo, e, em um status de jamais morrer. Peguemos como exemplo, o Teatro da Grécia Antiga, são clássicos, literalmente, encenados até os dias de hoje; o mesmo vale para Gil Vicente, William Sheakespeare, Molierè, Dias Gomes e Nelson Rodrigues. E estes grandes mestres citados, são só alguns exemplos, os mais conhecidos, da Arte Transcendental, que supera a terrível peneira com o crivo do tempo e as mudanças da sociedade. E isto não só se aplica somente aos grandes mestres, não é válido apenas aos clássicos, pois, chega um tempo na obra de um artista, que ela começa a "caminhar" por si só, de modo autônomo ao autor e dependente mais do público e de outros artistas, que a visitam; neste ponto, a obra, começa a "atuar" por si só e, muito mais ainda, por sua influência e presença no mundo.E isto pode se dar com um artista vivo, ou que já tenha deixado este planeta.

    Tal qual mente  disse no www.twitter.com @novalluz meu twitter pessoal, como escritor de blog e dj de mixagem, "A literatura nos faz conhecermos a nós mesmos e a Arte é a única coisa que nos liberta (e salva) do tédio". Eu sei, tem horas que dá um desespero, ao se pensar em frases como "estou a produzir e produzir arte e não acontece nada", mas calma, pensamentos assim, não "ajeitam" em nada as situações críticas. Pelo contrário, eles os mantém em desarmonia. A saída é uma só, tentar de outros meios. Artistas que produzem com bebidas, deveriam tentar fazer gravações sóbrias. Artistas que tocam em barezinhos e querem mais reconhecimento, não tem jeito, tem que tentar concursos, programas de tevê, sites, é assim, desse jeito, há que se tentar o diferente, pois uma hora a arte vence, deixa a vida te levar, do jeito que ela quer, que tudo acabará dando certo - não desanime com as dificuldades, pelo contrário, pense em fazer outras coisa e ver as coisas de outras óticas mas jamais desista de seu sonho, principalmente se seu sonho for ser artista, por que mais uma vez, afirmamos, "A Arte pode até tardar mas não falhar".






FIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por comentar, seu comentário será publicado sem passar por moderação.